Ilustração de um microfone de narração com confetes em volta.

O que são posts em áudio e por que fazem sucesso?

Posts em áudio estão se tornando cada vez mais comuns, mas nem todo mundo conhece esse formato de conteúdo. Por isso, resolvemos fazer um post em áudio para explicar o que são posts em áudio e porque fazem sucesso.

Caso você esteja lendo este texto, recomendamos que você aperte o play aí em cima.

O próprio termo “post em áudio” deixa claro que se trata de um post no formato de áudio, mas existem alguns detalhes sobre esse formato de conteúdo que o diferenciam de outros, como, por exemplo, o podcast.

Além disso, para entender este tipo de conteúdo e porque ele faz sucesso, é preciso compreender o contexto tecnológico e comportamental que o cerca. Dessa forma, você conseguirá avaliar quando e como melhor usar este formato no seu blog ou site.

Sem mais delongas, a seguir detalhamos um pouco mais as características de posts em áudio e porque eles fazem sucesso. Vamos lá!

O que são posts em áudio

Na internet encontramos diversos formatos de conteúdos. Desde os mais óbvios como texto e imagens, até outros que se tornaram realmente populares mais recentemente, como vídeos, infográficos e podcasts.

O post em áudio é uma versão de um certo conteúdo no formato de áudio e é disponibilizado na internet principalmente por streaming. Ou seja, o visitante não faz o download do áudio ou instala algum aplicativo para consumí-lo. O conteúdo é distribuído através de um player e é preciso estar conectado à internet para ouví-lo.

Pelo seu ótimo custo-benefício, o post em áudio costuma coexistir com outros formatos, ou seja, é comum encontrar o áudio acompanhado de uma versão em texto do mesmo conteúdo. Falaremos disso mais adiante.

Qual a diferença entre posts em áudio e podcasts?

Muita gente costuma confundir esses dois formatos, pois ambos são conteúdos em áudio. Mas, na realidade, eles são bem diferentes, como vemos a seguir:

Podcasts

  • costumam ter uma duração mais longa, entre 30 e 60 minutos
  • normalmente podem ser baixados de sites ou plataformas de podcasts
  • não possuem estrutura objetiva: no geral, giram em torno de entrevistas, conversas ou bate-papos em torno de uma pauta
  • fazem uso de vinhetas, inserções publicitárias e efeitos sonoros
  • requerem edição

Posts em áudio

  • costumam ter uma duração de até 15 minutos
  • normalmente são oferecidos por streaming diretamente nos sites
  • possuem estrutura objetiva igual ou similar ao texto narrado, que costuma seguir ordens lógicas e com melhores práticas de redação e SEO
  • não fazem uso de vinhetas ou efeitos sonoros e, no geral, não possuem inserções publicitárias (às vezes elas aparecem no início ou no final dos conteúdos)
  • requerem pouca ou nenhuma edição

Enquanto um podcast se assemelha mais a um programa de rádio e tem mais de uma pessoa falando, os posts em áudio são uma espécie de texto narrado por uma única pessoa. Como falamos, normalmente os posts em áudio são publicados junto com uma versão do conteúdo em texto.

Por que posts em áudio fazem sucesso?

Agora que você já sabe o que é esse formato e suas diferenças em relação ao podcast, vamos falar sobre o apelo desse conteúdo e entender melhor seu sucesso. Até porque, é importante saber os benefícios e resultados esperados de uma estratégia antes de testá-la ou colocá-la em prática.

Contexto tecnológico

Antes de falarmos sobre como e porque as pessoas consomem posts em áudio, é importante entender a tecnologia que viabiliza esses conteúdos em áudio e seu consumo.

A grosso modo, podemos falar de dois fatores principais: a popularização de dispositivos capazes de reproduzir posts em áudio e a popularização de conexões à internet de média e alta velocidades.

Basicamente, o fato das pessoas terem cada vez mais acesso a computadores de mesa, laptops, smartphones e tablets, significa que mais e mais pessoas estão aptas a reproduzir conteúdos em áudio.

Por outro lado, velocidades de conexão à internet cada vez mais rápidas e mais baratas permitem que as pessoas ouçam posts em áudio diretamente dos seus dispositivos, em casa, no trabalho ou em qualquer lugar com acesso à internet banda larga ou sinal 3G e 4G.

Contexto comportamental

Para entender este ponto, basta refletir rapidamente sobre duas coisas:

  • a gigantesca quantidade de conteúdo interessante que existe na internet e que cresce exponencialmente o tempo todo
  • a falta de tempo que praticamente todos nós sentimos para fazer tudo que gostamos e queremos fazer

Resumindo: os conteúdos interessantes na internet não param de se multiplicar, mas nossos dias continuam tendo apenas 24 horas.

Em uma pesquisa sobre leitura online, vimos que 73% das pessoas não consegue ler tudo o que gostaria na internet.

Então, como seus visitantes poderiam consumir os conteúdos do seu site se eles não têm tempo para ler?

Ouvindo.

A lógica do sucesso dos posts em áudio é simples

Para ler um texto ou ver um conteúdo (como vídeos, imagens em geral ou infográficos, por exemplo) uma pessoa precisa usar suas mãos e/ou seus olhos, o que limita seu tempo disponível para consumir tais conteúdos.

Enquanto isso, para escutar um post em áudio, a pessoa só precisa apertar play e, então, suas mãos e olhos estão livres para outras atividades. Sendo assim, em atividades onde é impossível ler ou assistir algo, você pode ouvir. Como, por exemplo, no trânsito, ao andar na rua, praticar atividades físicas, arrumar a casa ou passear com o cachorro.

Conclusão

A tecnologia e o comportamento das pessoas apontam para o conteúdo em áudio como uma alternativa para se consumir mais conteúdo. Já o ótimo custo-benefício dos posts em áudio possibilita que qualquer blog ou site aplique essa estratégia. Uma vez que o post em áudio pode coexistir com outros formatos.

Sabe aquele texto de 500 a 700 palavras, que você demorou 2 horas ou mais para produzir? Para narrar esse texto e publicar a narração junto a ele, você demora só mais 10 minutos.

Os 73% de pessoas que não conseguem ler tudo que gostariam, agradecem se houver uma versão em áudio!

Gostou desse conteúdo? Então baixe gratuitamente o Kit Engajamento Online, onde você encontra mais detalhes da pesquisa sobre leitura online e ainda confere dicas de engajamento para esse contexto.

CEO e cofundador do Vooozer, é apaixonado por ideias, tecnologia, games, cervejas e pela Tuti. Sonha acordado e dormindo com essas coisas e vira e mexe tira algo do papel, esse texto é um exemplo.

Embed: você sabe o que é isso? Descubra agora mesmo

Você se preocupa em diversificar o tipo de conteúdo publicado no seu blog? Seus posts combinam conteúdo próprio com o conteúdo de outros sites, como redes sociais? Então, continue lendo este artigo para descobrir o que é embed.

Que tal escutar este artigo em vez de ler? Enquanto escuta, você pode caminhar, dirigir ou arrumar seu quarto. Experimente, aperte o play acima.

Neste post, vamos explicar como essa funcionalidade pode deixar suas publicações bem mais interessantes e veremos como você pode incluir postagens do Facebook, Instagram, YouTube e outros no seu blog. Acompanhe!

O que é embed?

A palavra “embed” vem do inglês e significa “incorporar”. É exatamente isso que a funcionalidade faz. Por meio de um código HTML, é possível incorporar conteúdo de terceiros no seu próprio blog ou site. Eles podem ser posts de redes sociais, vídeos, infográficos, podcasts, narrações de textos, etc.

Quando falamos de código, pode parecer complicado, mas não é! Ele é fornecido pelo site do conteúdo de origem e você só precisa copiá-lo e depois colá-lo no seu blog.

Imagine, por exemplo, uma empresa que é referência no seu mercado. Ela publicou um texto no Facebook listando as principais tendências que ela vê para o seu mercado de atuação. Então, você decide fazer um post no seu blog sobre o tema e, para valorizar a publicação, opta também por incluir as ideias da empresa na postagem.

Em vez de adicionar o texto da empresa entre aspas e lhe dar os créditos, é muito mais interessante incorporar o post do Facebook em que o texto foi publicado. Os leitores repararão imediatamente qual é a origem daquele conteúdo e poderão interagir com ele como se estivessem no próprio Facebook — desde que tenham uma conta e estejam conectados.

Quais são as vantagens do embed?

Apesar de ser uma funcionalidade extremamente simples, o embed traz várias vantagens para quem o utiliza. A primeira delas é uma divulgação bem natural dos perfis em redes sociais.

Divulgando as redes sociais

Incorpore um tweet, vídeo do YouTube ou post do Facebook em seu texto, por exemplo! Você acaba divulgando aquele perfil para os leitores, aumentando o engajamento.

Ver o perfil da rede incorporado ao post do blog acaba atiçando a curiosidade dos visitantes. Dessa maneira, eles sentem vontade de clicar no perfil para dar uma breve espiada.

Isso pode ajudar você ou algum parceiro a aumentar o número de seguidores ou, pelo menos, o alcance de uma publicação específica.

Fazer isso com o perfil ou página do seu negócio também é uma boa forma de reutilizar conteúdos diversos que já haviam sido publicados. Além disso, você pode promover algo que acabou de ser postado.

Alternar entre esse tipo de abordagem e as chamadas para a ação pode ser uma forma eficaz de incentivar as pessoas a darem aquela conferida em suas redes sociais.

Proporcionando praticidade 

Logo no início deste texto, há um pequeno aviso de que ele também pode ser escutado, caso assim o visitante prefira.

Trabalhar com o embed é a forma mais fácil de oferecer essa opção prática para o seu público. Ele pode consumir o seu conteúdo por meio de áudio enquanto descansa a vista, corre pelo parque ou até mesmo lava a louça.

Aumentando a relevância e credibilidade dos conteúdos

Outro ponto positivo do embed é a oportunidade que a funcionalidade lhe dá para trabalhar com curadoria de conteúdo.

O curador de uma galeria de arte tem esse nome justamente porque ele é o responsável por selecionar quais itens farão parte do catálogo daquele evento.

Curadoria

A curadoria de conteúdo segue o mesmo estilo. Todos nós a fazemos constantemente no meio online quando indicamos um texto ou um vídeo para nossos visitantes.

Essa prática é bem importante por conta de alguns motivos. Ao compartilhar conteúdos com a sua audiência você mostra que está de olho no mercado, ou seja, que está atualizado e pronto para dar informações relevantes para o público.

Credibilidade

Além disso, conteúdos de terceiros podem servir para reforçar a sua credibilidade. Você e outras pessoas do ramo dizem que algo é uma tendência ou uma boa ideia. Então, seu público acreditará nisso com mais facilidade, visto que diferentes autoridades falaram a mesma coisa ou apontaram para a mesma direção.

Essa também é uma ótima maneira de criar um relacionamento amigável com outros profissionais do ramo. Ou, até mesmo, de fazer parcerias com outros sites para guest posts e ações de marketing.

Sem contar que as pessoas que tiveram seus perfis e conteúdos divulgados por você podem retribuir o favor. Isso pode ser com outro embed ou até mesmo compartilhando uma de suas postagens nas redes sociais.

Vale ressaltar que o simples fato de fazer a pesquisa de conteúdos — sejam eles de terceiros ou de sua autoria — ​é uma ótima forma de estimular a sua criatividade. Assim, você pode ter ideias de pautas para o blog e posts para as redes sociais.

Apostar na curadoria é uma ótima maneira de se aproximar dos seus leitores, visto que o ato de compartilhar informações online faz parte da nossa rotina. Fazer isso com o embed fica ainda mais fácil e natural dentro do seu blog, então por que não aproveitar essa oportunidade?

Como incorporar postagens de outros sites?

Veremos abaixo três exemplos de como incorporar conteúdos de outros sites utilizando embed. Recomenda-se utilizar um navegador web para os passos a seguir. Os aplicativos desses sites não costumam oferecer a opção embed.

Facebook

É possível incorporar posts de páginas ou de perfis pessoais do Facebook, desde que esses posts sejam públicos (posts configurados para aparecer apenas para os amigos não têm opção embed).

  1. Escolha um post que deseja incorporar ao seu blog e clique na seta que está no canto superior direito da publicação. Uma caixa de opções aparecerá. Selecione “Incorporar”;
  2. O Facebook mostrará uma janela com o código HTML. Selecione e copie esse código;
  3. Em seguida, cole o código onde você deseja que a publicação apareça no seu blog, salve as alterações e verifique se o post do Facebook foi incorporado corretamente.

Instagram

Assim como o Facebook, o Instagram só permite incorporar postagens públicas. Se o usuário tiver um perfil privado, não será possível utilizar o embed.

  1. Depois de escolher a imagem ou vídeo que quer incorporar ao seu blog, clique nos três pontinhos que estão no canto inferior direito da publicação. Entre as opções que aparecerão, selecione “Embed”;
  2. O Instagram mostrará o código HTML a ser copiado. Você pode selecionar a caixa “Include Caption” se quiser incluir a legenda do post. Clique em “Copy Embed Code” para copiar o código;
  3. Cole o código no seu blog, salve as alterações e verifique se o post foi incorporado corretamente.

YouTube

  1. Escolha um vídeo que você queira incorporar no seu blog e clique na opção “Compartilhar”, logo abaixo do vídeo;
  2. YouTube mostrará uma caixa com as opções “Compartilhar”, “Incorporar” e “E-mail”. Clique em “Incorporar”, selecione o código HTML que aparece e copie-o;
  3. Cole o código no seu blog, salve as alterações e verifique se o vídeo foi incorporado corretamente.

Áudio

  1. Faça um cadastro gratuito na plataforma Vooozer;
  2. Clique em “Enviar áudio” e siga as instruções presentes na plataforma;
  3. Copie o código embed disponibilizado e cole no HTML da sua página.

Percebeu que, independentemente do site, o processo não é muito diferente?

No caso do áudio, o Vooozer também pode lhe ajudar com a criação do arquivo, seja adicionando um som ambiente ou até mesmo encontrando um narrador para o seu texto.

Diversos serviços na internet também oferecem a funcionalidade embed para os mais variados tipos de arquivos e, como vimos, utilizá-la é sempre muito simples.

Basta procurar por uma opção “Incorporar”, “Embed” ou similar. Se ela não estiver visível, tente encontrar um menu com mais opções.

Portanto, quando for publicar o próximo post, lembre-se de usar o recurso embed e dê aos visitantes do seu blog uma experiência muito mais agradável.

Gostou de saber mais sobre o que é embed e como ele é importante para produtores de conteúdo? Deixe o seu comentário com sua opinião, experiência e dúvidas!

COO e cofundador do Vooozer, Mateus é o engenheiro mais de humanas que ele conhece. Apaixonado por mochilões e tecnologia, torce para que tenha wi-fi no hostel. Viaja para se encontrar, se perder, descobrir, inventar e vice-versa.

Ilustração de megafones coloridos.

Diversificação de Conteúdo: como adequar o formato dos seus posts?

Diversificação de conteúdo. Ao pesquisar sobre algum assunto online, é comum começar a consumir conteúdos em um tipo de formato e terminar em outro. Quem nunca jogou uma palavra-chave no Google esperando receber uma informação escrita, mas acabou encontrando as respostas desejadas em um podcast ou vídeo no YouTube?

Como se não bastasse o assunto ser diversificação de conteúdo, você pode escutar este artigo ao invés de ler. Basta apertar o play acima.

Essa diversificação de conteúdo é muito boa. Não só para apresentar formas mais dinâmicas de visualização de dados, mas também para economizar tempo e atender quem mais interessa: o internauta.

Neste post, você vai entender melhor como isso acontece. Também ensinaremos a adequar o formato de suas publicações para aumentar o tráfego e nível de engajamento da sua página. Confira!

Aposte nos infográficos de diversificação de conteúdo

Imagine-se prestes a comer uma refeição que não contenha nada além de arroz no prato. Apesar de a quantidade ser suficiente para matar sua fome, não parece muito satisfatório para seu almoço. Certo?

A mesma coisa acontece com a produção de conteúdo online. Ainda que sua escrita seja correta, relevante e útil para o cliente, muitas vezes o texto não se sustenta sozinho. Para engajar o seu leitor de verdade, é preciso oferecer um pouco mais de dinamismo.

Infográficos bem-feitos são a ferramenta perfeita para ajudar seu público a entender temas difíceis. Não apenas por serem visualmente atraentes, mas também porque são estimulantes para o cérebro. Não é à toa que um estudo elaborado pela MDG conseguiu mostrar que este tipo de conteúdo visual é capaz de gerar até 94% mais visualizações do que os blocos de texto desacompanhados.

Por serem apresentados de forma mais limpa e impactante, o conteúdo dos infográficos também tende a ser compartilhado com mais naturalidade. Ele se distancia daquela ideia do “textão”, que muita gente não tem tempo ou disposição para ler.

Apesar de tantas vantagens, o uso de infográficos deve sempre ser feito com um propósito específico em mente. Se você pode explicar seu assunto melhor apenas com palavras, dificilmente precisará desse recurso. Guarde-o para os momentos em que dispuser de dados numéricos ou cronogramas no seu conteúdo.

Complemente suas informações com vídeos

Você conhece alguém que gostaria de aprender inglês? Essa pessoa poderia ser um familiar. Um colega de trabalho. Até mesmo alguém como você, que busca uma maior valorização profissional. Para tornar a explicação mais fácil, vamos chamá-lo de Henrique.

Henrique gostaria muito de aprender uma nova língua mas não tem tempo nem dinheiro para isso. Ao fazer esse desabafo no Facebook, ele recebe várias sugestões de seus amigos para resolver esse problema: Duolingo, Babbel, Livemocha, cursos, blogs… Tudo de graça.

Ao se aventurar explorando tantas opções, Henrique acaba descobrindo que existem várias formas de conseguir acesso ao conteúdo que deseja. No meio do caminho, encontrou um canal de vídeos no YouTube que é muito mais relevante para ele. Esse canal possui uma abordagem mais atrativa.

Essa história não é nada incomum na vida de muitas pessoas. Afinal, o sucesso do YouTube está aí para quem quiser ver. Por isso, diversas empresas, blogs e sites não enxergam esse canal apenas como uma fonte de entretenimento. Esse canal também é uma ferramenta capaz de alavancar o próprio negócio.

Isso porque os vídeos online são capazes de humanizar uma marca e criar uma conexão mais forte com o público. Além disso, por que não, interagir com eles. Não há veículo mais poderoso para o storytelling, graças à sua combinação de áudio, movimentos e efeitos visuais.

Mostre sua autoridade no assunto com e-books e webinars

Ao abusar da diversificação de conteúdo para aumentar a atratividade dos seus posts, é importante não deixar de lado aqueles materiais mais técnicos. Eles tiram as dúvidas de seus visitantes e mostram que você realmente domina o assunto sobre o qual está disposto a falar.

Se você tem muitas informações específicas e detalhadas para compartilhar com seus seguidores, é uma boa ideia reuni-las em formatos diferentes. Você pode usar e-books, ou se for um assunto digno de debate, por que não organizar um webinar ou transmissão ao vivo?

Os resultados serão, com certeza, enriquecedores tanto para você, que conhecerá melhor o perfil e interesses das pessoas que interagem com seu site ou blog, quanto para o público, que será ouvido e verá que suas solicitações estão sendo atendidas.

Esses tipos de conteúdo educativos são uma ótima maneira de compartilhar sua experiência e se comunicar com seus visitantes. Por se tratar de materiais mais independentes, você também pode atingir uma audiência maior e mais diversa com eles. Isso depende do assunto a ser tratado.

Foque nas respostas

Planejar a sua diversificação de conteúdo não é uma tarefa simples de fazer a partir de um assunto vago. Lembre-se de que quando um internauta busca uma informação, ele está interessado em uma resposta, uma solução fixa para seu problema ou dúvida.

Por isso, é possível afirmar que um conteúdo de qualidade não é necessariamente aquele que está em forma de texto, podcast, vídeo ou imagem. Esse é o conteúdo que é capaz de ajudar a sua persona, mesmo que ela não esteja buscando nada além de entretenimento.

Já que o bom conteúdo é aquele que apresenta soluções para sua persona no exato momento em que ela precisa, o importante mesmo é se preocupar em passar a sua mensagem. Escolha a plataforma ideal depois. Isso porque se o seu conteúdo não for relevante, certamente será desvalorizado pelo visitante por mais que seu formato seja atraente.

Por fim, tenha consciência de que, à medida que o apetite pela informação de seu público cresce, novas formas de conteúdo tendem a surgir e ganhar popularidade na internet. Como se destacar diante desse excesso de informações? Você pode ter que se adaptar às tendências da área e conhecer a fundo as preferências de sua persona.

A diversificação de conteúdo não só mantém seus seguidores atuais interessados no que você tem a oferecer. Ela também o ajuda a atrair uma nova audiência.

Gostou desse post? Interessou-se pelo assunto? Então aproveite para conhecer mais formatos de conteúdo para blog. Comece agora mesmo a implantá-los na sua estratégia de marketing!

 

CEO e cofundador do Vooozer, é apaixonado por ideias, tecnologia, games, cervejas e pela Tuti. Sonha acordado e dormindo com essas coisas e vira e mexe tira algo do papel, esse texto é um exemplo.

Acessibilidade digital: entenda a importância e como fazer

Acessibilidade é um termo muito utilizado na política para melhorar a forma com que pessoas com alguma deficiência possam utilizar os serviços públicos e se locomover pela cidade.

Que tal ouvir esse texto e já sentir na pele como é fácil aumentar a acessibilidade digital do seu site? Aperte o play acima e experimente.

Você sabe, porém, como esse conceito pode ser empregado na criação de sites e blogs? Nós responderemos, no post de hoje, o que é acessibilidade digital, qual a sua importância e como colocá-la em prática.

Boa leitura!

O que é acessibilidade digital?

Acessibilidade é aquilo que permite que qualquer pessoa possa aproveitar atividades, conteúdos ou produtos oferecidos pela sociedade. Independentemente das limitações físico-motoras, culturais, sociais ou de qualquer outro tipo, uma experiência com o mínimo de interferências deve ser proporcionada.

Entre o grande número de internautas, alguns possuem:

  • dificuldades ou problemas totais na audição ou visão;
  • problemas para utilizar o mouse;
  • acesso apenas a partir de monitores pequenos;
  • internet lenta.

Sendo assim, os idealizadores de um site ou serviço online devem planejar e executar a usabilidade e experiência do acesso de forma a incluir todas as pessoas que tenham alguma necessidade especial.

Além de se basear no direito de que todos possam experimentar uma navegação clara, com possibilidade de comunicação, acesso adequado a formatos que possam auxiliar tais pessoas, há o componente de lucro.

Quem inclui os vários tipos de pessoas — e também suas dificuldades de acesso —, consegue mais visitas e, consequentemente, seguidores. As empresas aumentarão as vendas e melhorarão a imagem que o público tem delas.

Qual é a sua importância?

Assim que pensamos em dificuldades para acesso, lembramos daqueles que possuem problemas visuais. Programas como Jaws auxiliam essas pessoas com a leitura da página, demonstrando até mesmo qual é a descrição de uma imagem e o que ela significa.

Entretanto, para que o sistema funcione adequadamente, os sites devem seguir as boas normas de acessibilidade.

Além disso, outros tipos de problemas visuais, como o daltonismo, por exemplo, precisam ser levados em consideração. A utilização demasiada de verde e vermelho pode criar uma dificuldade para esses visitantes.

Nesse caso, a existência de links em vermelho pode não ser notada pelos usuários, prejudicando sua acessibilidade ao conteúdo. Consequentemente, mais barreiras para interagir com o site.

Há casos em que é difícil, mesmo para visitantes sem limitação, identificar quais são os botões que confirmam ou cancelam uma compra, por exemplo. Os principais indicadores das ações estão confinados à cor.

Como podemos resolver esses tipos de problema que dificultam o acesso à informação dos sites? É isso que responderemos agora!

Como resolver esses problemas de acessibilidade digital?

1 – Usar descrição nas imagens

Para auxiliar aqueles que não podem enxergar, descreva todas as suas imagens e insira o texto alternativo. Lembre-se, porém, de descrever a imagem, e não seu produto ou site.

Assim, os programas especializados poderão dar a eles a real dimensão daquilo que aparece no monitor.

2 – Utilização de textos e marcações, além das cores

É certo que as cores nos transmitem emoções que auxiliam as ações. Entretanto, mais indicativos devem ser fornecidos para que todas as pessoas tenham acesso aos menus. Você pode utilizar imagens que sejam autorrepresentativas, como um ‘x’ para cancelar ou setas para voltar ou avançar.

Além dos daltônicos, aqueles que possuem baixa visão precisam encontrar contrastes de cores entre o plano de fundo e as fontes utilizadas.

3 – Textos disponíveis em áudio

Disponibilizar uma versão do seu texto em áudio auxiliará as pessoas que possuem dificuldade de leitura.

Além disso, essa ferramenta é útil para pessoas que não possuem muito tempo para ler seu conteúdo. Assim, podem apreciá-lo no trânsito, em casa ou enquanto caminham, por exemplo.

Diversos blogs e sites já oferecem textos em áudio, como podemos ver nesses exemplos no blog da Resultados Digitais, no da Rock Content e no Papo de Homem.

 

É preciso melhorar a forma como as pessoas com alguma dificuldade utilizam todos os serviços. Além de ser lei, é uma forma de aumentar o seu público e, para empresas, suas vendas.

Você quer nos ajudar a construir um mundo melhor? Compartilhe este post em suas redes sociais e espalhe a ideia da acessibilidade digital!

COO e cofundador do Vooozer, Mateus é o engenheiro mais de humanas que ele conhece. Apaixonado por mochilões e tecnologia, torce para que tenha wi-fi no hostel. Viaja para se encontrar, se perder, descobrir, inventar e vice-versa.

Publicidade online: 5 formatos diferentes para você explorar

Fazer publicidade online já é mais do que uma tendência. É praticamente uma obrigação das empresas que procuram dar visibilidade a produtos e serviços. Ainda assim, existem alguns formatos que são pouco explorados em relação ao grande potencial que apresentam.

Que tal ouvir esse post narrado pelo próprio autor? Aperte o play acima e experimente.

É sobre isso que queremos falar aqui. Saiba mais sobre esses formatos e de que forma eles podem ser úteis para você e sua empresa. Acompanhe!

1. Textos com formato em áudio

Você já parou para pensar na quantidade de pessoas que não leem os textos do seu blog por falta de tempo ou até mesmo por preguiça? Os textos com formato em áudio são a solução para esse problema, pois eles atuam exatamente nessa brecha.

Eles funcionam a partir de uma versão em áudio gravada narrando o texto escrito, o que faz com que você tenha as duas opções na sua página.

Essa é uma alternativa válida até mesmo para permitir que as pessoas tenham acesso ao seu conteúdo de maneiras mais práticas e otimizadas, como ao caminhar, dirigir, na academia, arrumando a casa, entre outros.

Assim como vídeos do YouTube podem apresentar uma publicidade antes dos conteúdos, plataforma de áudio possibilitam um espaço publicitário similar em áudio, como podemos ver neste exemplo no site Papo de Homem.

2. Publicidade online via mobile

Se existe um segmento que vem se expandindo na publicidade online, esse segmento é o mobile. É por isso que empresas como o Google têm investido em soluções para esse tipo de aparelho. Buscando aumentar a visibilidade das propagandas, a empresa vem apresentando novos formatos como vídeos com reprodução automática, anúncios fixos na tela, entre outros.

A proposta é tornar a publicidade online ainda mais relevante e integrada ao conteúdo, gerando maior número de visualizações e engajamento.

3. Anúncios em redes sociais

O potencial das redes sociais é enorme e ainda não foi plenamente explorado. O Facebook, por exemplo, oferece horário nobre durante praticamente o dia todo, diferentemente do que acontece com a TV, por exemplo.

Como os hábitos das pessoas têm se alterado, hoje já é viável anunciar nas redes sociais mesmo em horários em que as pessoas costumam assistir TV ou fazer outra atividade. Por isso, soluções como o Facebook Ads e o Twitter Ads estão entre as que mais tendem a oferecer resultados para as empresas nos próximos anos.

4. Rich Media

Uma forma de atingir seu público de maneira diferente da concorrência é trabalhando com o formato de Rich Media. Com ele, você pode usar a tecnologia HTML5 para criar conteúdo com recursos avançados como vídeo, áudio e demais elementos. Resultado: melhores formas de envolver o público e, assim, criar conhecimento da sua marca.

5. Advergame

Advergame é a exposição de uma marca dentro de um jogo (adver, de advertisement = propaganda e game = jogo).

O Advergame funciona como uma estratégia de marketing que se utiliza dos jogos realizados em ambiente virtual para propagar os produtos ou serviços de uma marca.

Funciona muito bem na criação de interatividade entre marca e consumidor, uma vez que quando a mensagem é exposta ela atinge o público que está totalmente imerso naquela ação.

 

Jogos, vídeos e até mesmo tweets de anúncio podem ser o diferencial de sua campanha rumo ao sucesso!

Ficou interessado por publicidade online? Então confira nosso artigo sobre a importância de mensurá-las e como fazer isso!

COO e cofundador do Vooozer, Mateus é o engenheiro mais de humanas que ele conhece. Apaixonado por mochilões e tecnologia, torce para que tenha wi-fi no hostel. Viaja para se encontrar, se perder, descobrir, inventar e vice-versa.