Conheça 6 plugins para WordPress indispensáveis em 2017

O WordPress é um dos mais conhecidos sistemas de gerenciamento de conteúdo para sites — ou no inglês, Content Management Systems (CMS). Essa popularidade pode ser explicada por conta das possibilidades de customização que ele tem. Muitos dos recursos que permitem a personalização são nativos do sistema, mas outros tantos são resultados da instalação de plugins do WordPress.


Aproveite para descansar os olhos e ouça esse conteúdo! Clique no play acima!

Plugins são elementos complementares que modificam ou agregam novas funcionalidades a um site que utiliza esse sistema de gestão de conteúdo. No entanto, há um problema nesse contexto. São muitas alternativas. Então, os usuários do WordPress acabam tendo muitas dúvidas sobre quais os melhores plugins a serem usados em seus sites.

Vamos te auxiliar nesse problema! Reunimos neste post 6 plugins que, em 2017, acreditamos serem indispensáveis para qualquer site. Veja abaixo!

6 plugins para WordPress 2017 que não podem faltar no seu blog

1. SEO Yoast

O bom posicionamento nas páginas de pesquisa do Google. Esse é um dos principais objetivos de qualquer empresa que desenvolve um site. A análise de SEO não é uma função nativa do sistema WordPress e para isso o SEO Yoast é um dos melhores plugins do momento.

Ele possui algumas configurações complexas para a análise de SEO do site como um todo. Porém, a melhor funcionalidade é, sem dúvidas, o auxílio para a otimização dos conteúdos publicados. Ele gera uma espécie de checklist que mostra tudo o que pode ou precisa ser melhorado a partir da palavra-chave escolhida.

2. Akismet

O spam nos comentários é um dos maiores problemas enfrentados por donos de blogs. O Akismet é o plugin mais eficiente para proteger o site contra esta prática abusiva. Afinal de contas, esses comentários prejudicam a imagem do blog, além de comprometerem significativamente a velocidade do site.

3. W3 Total Cache

Toda vez que um usuário acessa seu site, alguns dados das páginas ficam armazenados na memória cache do navegador para que, no próximo acesso, o carregamento seja mais rápido.

O plugin W3 Total Cache facilita esse armazenamento, já que nem sempre ele acontece por uma configuração padrão do CMS. Dessa maneira, ele armazena todos os aspectos do blog na memória cache e, com isso, aumenta consideravelmente a velocidade de carregamento do site.

4. Jetpack

Este é um dos plugins do WordPress com mais recursos úteis para o site. Alguns desenvolvedores até o conhecem como uma coleção de funcionalidades surpreendentes e úteis para gestores de sites.

A partir de configurações simples de executar, o Jetpack simplifica a gestão do site e fornece estatísticas sobre os visitantes, melhorias na segurança, além da oferta de recursos para acelerar imagens e ajudar na obtenção de mais tráfego.

5. Contact Form 7

Todo site que se preze precisa de uma área de contato onde os visitantes possam enviar mensagens para os administradores da página. O Contact Form 7 é o plugin do WordPress ideal para inserir facilmente formulários de contato no site.

Com ele é possível gerenciar vários formulários diferentes com diversos níveis de personalização e todas as características necessárias para sua página de contato.

6. WP Smush

O tamanho dos arquivos de imagens de um site é um dos fatores que mais influencia negativamente na velocidade de carregamento das páginas. O WP Smush é um plugin que permite que você otimize as imagens do site de uma forma rápida e prática.

Para as imagens que já foram carregadas no site, ele permite que você reduza o tamanho de várias delas ao mesmo tempo. Para aquelas que ainda serão carregadas após a instalação do plugin, ele as configura e otimiza já no carregamento.

Saber escolher os plugins do WordPress corretos na hora de desenvolver seu blog é essencial para garantir uma maior chance de sucesso do site. Os exemplos que citamos aqui são alguns dos plugins indispensáveis para essa jornada. Para saber mais dicas como essas para o sucesso de seu site, curta também a nossa página do Facebook!

Ilustração de uma página da internet com 3 setas apontando para ela e na outra ponta das setas a palavra "link"

Links patrocinados: conheça as 5 melhores práticas

O Google processa aproximadamente 40 mil buscas por segundo. Isso acumula um volume de 3,5 bilhões por dia. Trata-se da página mais visitada do mundo e também do principal portal de entrada para boa parte dos sites da atualidade.

Sem tempo para ler? Que tal ouvir este artigo? Aperte o play e descanse sua vista!

Você pode fazer toda essa exposição do Google trabalhar a favor da sua marca com a implementação de uma boa estratégia de links patrocinados. Através do AdWords, a plataforma de anúncios do buscador, você consegue emplacar sua publicidade para determinados tipos de buscas.

No entanto, uma campanha de links patrocinados só é eficiente se você implementar uma abordagem adequada. Esse é um mecanismo que se baseia completamente em impactar o público exato a partir de quais termos ele está buscando no Google. Qualquer erro no planejamento pode comprometer todos os seus resultados.

Veja a seguir as 5 melhores práticas para obter excelentes resultados com links patrocinados:

1. Pesquise os hábitos do seu público

Entender de que forma a sua audiência usa a internet para buscar o que está precisando é essencial para uma boa estratégia de links patrocinados. Procure saber o máximo que puder sobre o perfil dessas pessoas, faixa etária, gênero predominante, profissão e o que mais for relevante. Esses dados servirão para um planejamento mais eficiente e também trarão benefícios para outras etapas da sua campanha.

2. Pesquise as palavras-chave certas

Depois de conhecer bem o perfil do seu público-alvo, chega a hora de escolher as palavras-chave adequadas para a sua campanha. Afinal, uma estratégia de links patrocinados é quase que exclusivamente baseada nelas.

O próprio Google AdWords conta com um sistema que traz sugestões de combinações de termos que podem ser eficientes para os seus objetivos, então faça uso dela.

3. Otimize o conteúdo para mobile

Os dispositivos móveis já são maioria no acesso à internet em todo o mundo — no Brasil não é diferente. Portanto, faz todo sentido contar com anúncios direcionados a esse público que sejam devidamente otimizados.

Crie campanhas de links patrocinados direcionadas ao mobile, de preferência apontando para landing pages que também sejam responsivas para funcionarem corretamente em todo tipo de aparelho.

4. Aponte para uma landing page relevante

É bastante prejudicial à sua campanha de links patrocinados quando você direciona o seu público para uma página em que não há próximo passo claro. A sua landing page precisa ser completamente relevante ao tema para que possa gerar os resultados que você deseja. Isso significa criar páginas específicas para cada tipo de anúncio em vez de jogar sua persona em um mesmo lugar.

5. Não se esqueça das palavras-chave negativas

Um recurso bastante estratégico do Google AdWords permite que você segmente os seus links patrocinados por termos que não quer impactar. Isso facilita muito o processo de atingir exatamente o público que você está procurando. Por exemplo, uma empresa que vende objetos de alto padrão poderia incluir “barato” como uma palavra-chave negativa.

Uma boa campanha de links patrocinados pode trazer resultados inovadores à sua marca, basta implementar as dicas destacadas acima. Além disso, a sua estratégia precisa estar em plena renovação, já que um planejamento estagnado logo para de gerar bons resultados. A melhor forma de fazer isso é acompanhar de perto as transformações do seu público-alvo e do seu mercado.

Para você, qual o maior benefício dos links patrocinados para a sua estratégia de negócios? Dê a sua opinião nos comentários!

Ilustração de uma mulher mexendo no computador numa mesa enquanto ouve música com seu gato em sua cabeça.

Como aumentar tempo de permanência na página?

O tempo de permanência na página é uma das métricas mais estratégicas que você deve acompanhar em meio aos resultados do seu site. Ela serve como um termômetro da aceitação do público em relação ao seu conteúdo, portanto, não pode estar em queda.


Clique no play acima para ouvir esse texto. Narramos pra você!

Quando os seus visitantes começam a passar cada vez menos tempo no seu site, o sinal de alerta deve soar, Daí, você precisa implementar os esforços certos para remediar a situação. Afinal, quanto menor é esse contato, menores as chances de os usuários conhecerem seus serviços.

Um site é uma ferramenta essencial para empresas que querem aumentar sua visibilidade. Também é fundamental para levar seus produtos a cada vez mais gente e para quem produz conteúdo e quer aumentar o seu alcance. Portanto, todos os elementos do site precisam trabalhar a favor do objetivo de manter a atenção do visitante.

Confira, a seguir, as melhores maneiras de aumentar tempo de permanência na página:

Melhore a experiência de leitura

Pode ser que as pessoas estejam com menos tempo de permanência na página porque não leem o seu conteúdo. Qual é uma das maneiras de garantir que suas páginas fiquem mais convidativas? Aprimorar a experiência de leitura delas!

Isso significa usar fonte e tamanho adequados, cores agradáveis aos olhos, espaçamento e negrito que ajudem a pontuar o texto, entre outros. Blocos enormes de palavras não são nada atraentes e praticamente forçam o público a sair.

Publique vídeos

Cada vez mais, pessoas passam horas diante do YouTube. Então, por que não trazer essa lógica para aumentar tempo de permanência na página? Grave e poste vídeos em seu site para que os visitantes se engajem com esse tipo de conteúdo e evitem sair rapidamente.

O vídeo é bastante versátil e pode servir tanto como complemento de um post de blog quanto como parte integrante de uma página institucional. Leve em conta seus objetivos, ou da sua empresa, e o perfil do público-alvo para tomar a melhor decisão.

Torne o design mais amigável

As pessoas rejeitam layouts pouco convidativos e logo saem de páginas. Isso impacta seriamente o tempo de permanência na página. Então, certifique-se de que a interface do seu site não esteja trabalhando contra você.

Isso vai além de simplesmente ter um design bonito! Leve em conta a experiência do usuário, a facilidade de acessar determinadas seções, exclua pop-ups intrusivos e outros recursos que possam tornar a visita ruim.

Ofereça outros formatos

Nem sempre o seu público terá tempo para ler um dos seus artigos, e isso pode ser decisivo para que o tempo de permanência na página diminua. Para prender o visitante no seu site, basta oferecer o conteúdo em outro formato.

Uma possibilidade é o áudio. Usando uma ferramenta como o Vooozer, é possível gravar e disponibilizar uma versão narrada do seu post para que o usuário possa reproduzir e ouvir todo o artigo. Você também pode explorar formatos como infográficos e listas.

Implemente essas dicas para garantir um tempo de permanência na página sempre crescente para o seu site, aproximando o público cada vez mais da sua marca e dos seus serviços. Não faz bem a nenhum site ter um conteúdo que afasta o público, por isso, conte com o tempo de permanência como uma métrica que aponta justamente isso. Fique de olho nos números ao adotar essa estratégia e se mantenha no caminho para o sucesso!

Que tal continuar acessando dicas estratégicas como essas? Cadastre o seu e-mail e comece a receber a nossa newsletter!

Acessibilidade digital: entenda a importância e como fazer

Acessibilidade é um termo muito utilizado na política para melhorar a forma com que pessoas com alguma deficiência possam utilizar os serviços públicos e se locomover pela cidade.

Que tal ouvir esse texto e já sentir na pele como é fácil aumentar a acessibilidade digital do seu site? Aperte o play acima e experimente.

Você sabe, porém, como esse conceito pode ser empregado na criação de sites e blogs? Nós responderemos, no post de hoje, o que é acessibilidade digital, qual a sua importância e como colocá-la em prática.

Boa leitura!

O que é acessibilidade digital?

Acessibilidade é aquilo que permite que qualquer pessoa possa aproveitar atividades, conteúdos ou produtos oferecidos pela sociedade. Independentemente das limitações físico-motoras, culturais, sociais ou de qualquer outro tipo, uma experiência com o mínimo de interferências deve ser proporcionada.

Entre o grande número de internautas, alguns possuem:

  • dificuldades ou problemas totais na audição ou visão;
  • problemas para utilizar o mouse;
  • acesso apenas a partir de monitores pequenos;
  • internet lenta.

Sendo assim, os idealizadores de um site ou serviço online devem planejar e executar a usabilidade e experiência do acesso de forma a incluir todas as pessoas que tenham alguma necessidade especial.

Além de se basear no direito de que todos possam experimentar uma navegação clara, com possibilidade de comunicação, acesso adequado a formatos que possam auxiliar tais pessoas, há o componente de lucro.

Quem inclui os vários tipos de pessoas — e também suas dificuldades de acesso —, consegue mais visitas e, consequentemente, seguidores. As empresas aumentarão as vendas e melhorarão a imagem que o público tem delas.

Qual é a sua importância?

Assim que pensamos em dificuldades para acesso, lembramos daqueles que possuem problemas visuais. Programas como Jaws auxiliam essas pessoas com a leitura da página, demonstrando até mesmo qual é a descrição de uma imagem e o que ela significa.

Entretanto, para que o sistema funcione adequadamente, os sites devem seguir as boas normas de acessibilidade.

Além disso, outros tipos de problemas visuais, como o daltonismo, por exemplo, precisam ser levados em consideração. A utilização demasiada de verde e vermelho pode criar uma dificuldade para esses visitantes.

Nesse caso, a existência de links em vermelho pode não ser notada pelos usuários, prejudicando sua acessibilidade ao conteúdo. Consequentemente, mais barreiras para interagir com o site.

Há casos em que é difícil, mesmo para visitantes sem limitação, identificar quais são os botões que confirmam ou cancelam uma compra, por exemplo. Os principais indicadores das ações estão confinados à cor.

Como podemos resolver esses tipos de problema que dificultam o acesso à informação dos sites? É isso que responderemos agora!

Como resolver esses problemas de acessibilidade digital?

1 – Usar descrição nas imagens

Para auxiliar aqueles que não podem enxergar, descreva todas as suas imagens e insira o texto alternativo. Lembre-se, porém, de descrever a imagem, e não seu produto ou site.

Assim, os programas especializados poderão dar a eles a real dimensão daquilo que aparece no monitor.

2 – Utilização de textos e marcações, além das cores

É certo que as cores nos transmitem emoções que auxiliam as ações. Entretanto, mais indicativos devem ser fornecidos para que todas as pessoas tenham acesso aos menus. Você pode utilizar imagens que sejam autorrepresentativas, como um ‘x’ para cancelar ou setas para voltar ou avançar.

Além dos daltônicos, aqueles que possuem baixa visão precisam encontrar contrastes de cores entre o plano de fundo e as fontes utilizadas.

3 – Textos disponíveis em áudio

Disponibilizar uma versão do seu texto em áudio auxiliará as pessoas que possuem dificuldade de leitura.

Além disso, essa ferramenta é útil para pessoas que não possuem muito tempo para ler seu conteúdo. Assim, podem apreciá-lo no trânsito, em casa ou enquanto caminham, por exemplo.

Diversos blogs e sites já oferecem textos em áudio, como podemos ver nesses exemplos no blog da Resultados Digitais, no da Rock Content e no Papo de Homem.

 

É preciso melhorar a forma como as pessoas com alguma dificuldade utilizam todos os serviços. Além de ser lei, é uma forma de aumentar o seu público e, para empresas, suas vendas.

Você quer nos ajudar a construir um mundo melhor? Compartilhe este post em suas redes sociais e espalhe a ideia da acessibilidade digital!

Quais são as 5 principais métricas do Google Analytics para blog?

Como você sabe que rumo o seu blog está tomando? Acompanhar as métricas do Google Analytics é essencial para ter certeza que os seus resultados estão de acordo com o esperado.

O autor desse conteúdo narrou esse texto. Escute a versão em áudio!

O Google Analytics é uma das ferramentas de análise de resultados mais úteis que temos hoje em dia. Ele é capaz de captar vários números referentes ao comportamento da sua audiência e as características dela. Esses dados são altamente valiosos para a estratégia do seu blog sempre se manter eficiente.

Confira a seguir as 5 principais métricas do Google Analytics que você precisa acompanhar!

1. Novos visitantes

Contar com leitores fiéis é sempre positivo para qualquer tipo de blog, mas você também precisa contar com visitantes novos regularmente. Essa é uma das métricas do Google Analytics que você deve acompanhar de perto porque mostra a real força de atração do seu conteúdo. Se esse índice está caindo, é necessário implementar um plano de ação o quanto antes.

2. Bounce rate

O que acontece quando uma pessoa acessa um post do seu blog e logo vai embora? Ela entra para a estatística de bounce rate. O seu objetivo deve ser garantir que as pessoas passem cada vez mais tempo no seu site — de preferência visitando várias páginas.

Sendo assim, fique de olho na taxa de bounce para saber se o seu conteúdo está sendo capaz de satisfazer os visitantes e engajá-los em outros posts.

3. Páginas mais populares

Você precisa saber quais posts conquistaram mais acessos. Uma das melhores métricas do Google Analytics para isso é a de páginas mais populares. Esses dados são altamente importantes porque podem ditar os rumos da sua estratégia editorial para o futuro. Saiba se adaptar a partir desses feedbacks para sempre gerar identificação junto ao seu público.

4. Origens de tráfego

Ao saber de onde vêm os seus acessos, você consegue ficar por dentro de quais canais estão contribuindo para o sucesso do seu blog — como sites de buscas, redes sociais, entre outros.

A partir daí, podem surgir parcerias estratégicas ou oportunidades que não podem deixar de ser aproveitadas. Essa é uma das métricas do Google Analytics que oferece um diagnóstico fiel sobre como o seu conteúdo está repercutindo na internet.

5. Páginas por visita

Como já falamos acima, deve ser o seu objetivo contar com visitantes que acessem o máximo de conteúdo possível. Portanto, uma das métricas do Google Analytics que você precisa analisar é a quantidade de páginas que são acessadas por visita. É claro que esse número tem que ser crescente. Além disso, é importante que você ofereça cada vez mais conteúdo para o seu público aproveitar.

Um blog é uma ferramenta bastante poderosa para fortalecer uma marca e a credibilidade de um profissional, mas para proporcionar todos os benefícios possíveis é preciso contar com uma estratégia eficiente. Analisar as melhores métricas do Google Analytics é o jeito ideal de se manter em uma rota direcionada ao sucesso. Sendo assim, faça levantamentos regulares desses números para acompanhar a sua própria evolução ao longo do tempo.

Gostou das dicas sobre as métricas do Google Analytics? Então assine a nossa newsletter e fique por dentro de outros conteúdos como este!