Ilustração de uma pessoa sentada no chão e escrevendo em uma máquina de escrever

Aprenda o que é Storytelling e como utilizar essa técnica no seu blog

Ter uma boa estratégia de comunicação e marketing é tão importante quanto ter um produto de qualidade. Existem diversas técnicas disponíveis nessa área para garantir a melhor eficácia na entrega da mensagem da empresa.

Que tal escutar o artigo na íntegra ao invés de ler? É só apertar o play abaixo:

Contar histórias é uma das mais eficientes, prática conhecida como storytelling. Selecionamos algumas informações importantes sobre o que é storytelling e como você pode usar essa técnica no seu plano de marketing digital. Veja só!

O que é storytelling?

Assim como outras metodologias da comunicação e do marketing, o storytelling foi batizado por um termo em inglês, que significa contar histórias ou desenvolver uma narrativa. Portanto, podemos afirmar que a metodologia consiste na arte de comunicar uma ideia, um evento ou uma mensagem ao contar uma história.

Isso pode ser feito através de palavras, imagens, sons ou qualquer outro recurso de comunicação compreendido pelo receptor da mensagem. A intenção com a história é que o emissor — ou seja, a empresa — possa se conectar de uma forma mais direta e eficiente com sua audiência.

Por que ele é importante para o marketing digital?

É possível que neste momento você esteja pensando: “Ok, contar histórias pode até fazer sentido em uma estratégia de marketing, mas por que eu devo fazer isso na minha empresa?”. A resposta é simples: porque as pessoas têm uma tendência maior de memorizar histórias em vez de números!

O cérebro humano armazena melhor histórias do que dados. Pense bem: quando foi a última vez que você guardou uma mensagem transmitida em uma palestra, por exemplo? Muito provavelmente não foi uma informação baseada em números ou dados, mas uma história contada pelo palestrante para ilustrar o conteúdo que estava sendo transmitido.

A arte de contar histórias ativa as áreas do cérebro associadas à visão, ao gosto, ao som e ao movimento. O storytelling é, portanto, eficiente para uma estratégia de marketing, pois são essas as áreas que têm o poder de influenciar a decisão do consumidor por um produto em detrimento de outro. Mesmo que os dois tenham a capacidade de solucionar o problema.

Por exemplo: se você tem problemas para educar um cão ou gato recém-adotado, é fato que você vai buscar uma solução na internet. Nesse contexto, há uma probabilidade muito maior de você se identificar mais com a história de alguém que tenha o mesmo problema do que com uma penca de números e dados sobre o tema.

Essa diferença se explica pela abordagem das duas formas de comunicar a mesma coisa. Pensando em uma campanha de marketing, enquanto de um lado os números chamam sua atenção para o contexto da empresa, é a história que humaniza aquele produto ou serviço, aproximando muito mais a marca do consumidor.

Como utilizar a técnica no seu blog?

Entender o que é storytelling é muito importante para uma estratégia eficiente de comunicação, pois essa é uma metodologia que pode ser aplicada em diversas áreas. No contexto do marketing digital, é na produção de conteúdo que ela mais se mostra como uma boa alternativa.

Se estamos falando de produção de conteúdo, é evidente que nosso foco central será na manutenção do blog da sua empresa. Mesmo porque, será ele o responsável pela aquisição de uma parte do tráfego oriundo das cerca de 700 mil buscas que ocorrem a cada minuto no Google. Para auxiliar você nessa jornada, separamos abaixo 5 dicas de eficácia comprovada. Confira!

1. Conheça sua audiência

Com certeza você já ouviu falar sobre isso em outros artigos que dão dicas de marketing digital. Esse é um fato quase óbvio. Afinal de contas, como você vai conseguir gerar uma mensagem eficiente sem conhecer a audiência para quem ela se destina?

Conhecer o público-alvo, no entanto, vai além das informações básicas, como gênero, idade, cidade, entre outros. É preciso também entender os hábitos de consumo, os gostos e as preferências das pessoas.

Inclua nessa história também a compreensão dos problemas enfrentados por essas pessoas e como sua empresa pode ser útil para elas. Apenas com esse entendimento será possível que você crie histórias que estejam alinhadas com os interesses dessas pessoas.

2. Crie títulos atraentes

Nenhuma história será conhecida se você não conseguir prender a atenção da pessoa ao longo do texto. O primeiro passo para atingir esse objetivo é se esforçar para criar títulos criativos que chamem mais atenção do usuário. Assim, há uma chance maior dele acessar a sua história e se manter engajado por mais tempo com o conteúdo.

3. Seja único e autêntico

Não há melhor forma de fortalecer uma marca na internet que não seja criando conteúdo. No entanto, é importante lembrar que, para ser eficaz nesse objetivo, o conteúdo precisa ter valor e ser único. É isso que vai garantir ao consumidor que você não está tentando enganá-lo com aquela história.

Muita gente sabe o que é storytelling mas não têm os cuidados necessários ao aplicá-lo. É preciso ser autêntico na sua estratégia de storytelling. Uma história contada de forma honesta sob o ponto de vista de quem a viveu tem uma percepção muito melhor pelo leitor. Quando são fornecidas informações falsas, a experiência do usuário fica comprometida e não há geração de valor, conexão e empatia.

4. Use dados para embasar a história

É fato: o cérebro humano tem uma facilidade muito maior de reter histórias em detrimento de dados. Mas isso não quer dizer, entretanto, que você não pode unir os dois para tornar sua narrativa ainda mais convincente. Acredite ou não, histórias baseadas em números têm maior capacidade de gerar confiança no consumidor.

5. Tenha um objetivo mensurável

Por fim, é importante mencionar uma dica que vale para qualquer estratégia de marketing digital: toda ação precisa de uma meta clara que pretende ser atingida. Se ela não puder ser mensurada, não faz sentido que seja considerada como meta.

Quando pensar no objetivo que deseja atingir com as ações baseadas no storytelling, tenha em mente que é preciso definir as métricas que serão usadas para mensurar a eficácia da iniciativa. Assim você será capaz de entender se as histórias publicadas estão auxiliando na geração de leads e em melhores resultados para o negócio.

A comunicação é uma área em constante evolução. Para ter sucesso com as ações de marketing é fundamental compreender cada nova metodologia ou cada nova aplicação de métodos já existentes. Somos todos contadores de histórias, e você, junto da sua equipe, será capaz de gerar narrativas incríveis e altamente persuasivas. Entender o que é storytelling é apenas o primeiro passo dessa jornada.

Para ficar por dentro de mais conteúdos relevantes como este e aprender mais sobre o poder das boas histórias, curta a nossa página no Facebook!

Ilustração de diversos ícones relacionados a marketing digital em volta do título "marketing digital"

Descubra aqui as tendências de marketing digital para 2018!

As tendências de marketing digital para 2018 começam a ser observadas desde já! Novas estratégias experimentadas têm tudo para serem cada vez mais concretas e eficientes no ano que está próximo. Com o maior envolvimento de recursos tecnológicos, o marketing se atualiza constantemente.

Sem tempo pra ler? Quer saber das tendências para 2018 sem muito esforço? Aperte o play e escute o post:

Conteúdos de áudio, vídeo, uso de redes sociais, ferramentas e mais uma série de recursos já despontam como as prováveis melhores maneiras de se aproximar do público-alvo nos próximos meses. Que tal saber melhor sobre cada uma dessas estratégias?

Este post trará as principais tendências de marketing para 2018. Continue a leitura para se informar e ficar atento quanto ao uso delas!

1. Big data: dados que geram oportunidades

A internet é um ambiente em que são gerados muitos dados, de todas as formas, em altas velocidades, em muito volume e que se transformam constantemente. Mas como isso pode ser útil dentro de uma estratégia de marketing digital?

O conceito de big data visa a análise profunda de dados de consumidores em largas escalas, de modo que seja possível identificar por meio deles uma série de comportamentos que ajudem as empresas a se posicionarem. A maneira como cada um dos usuários da internet age pode servir como base para ações de marketing.

Imagine poder oferecer ao seu público-alvo o que ele realmente quer? Esse é o grande propósito do marketing, de modo que isso gere conversões e engajamento. A estratégia de big data possibilita o acesso a dados que aproximam muito a empresa de informações precisas que norteiam suas ações.

Para aproveitar essa tendência, aposte em ferramentas e ações que gerem dados confiáveis e úteis.

2. Marketing de Conteúdo: mídia que engaja

O marketing de conteúdo é uma estratégia que tem crescido constantemente e promete vir com tudo, cada vez mais forte e estabilizada em 2018. Essas ações visam a oferta de conteúdo útil ao público-alvo, de modo que isso gere tráfego qualificado para as páginas institucionais na empresa, tornando o usuário cada vez mais próximo.

Esse engajamento é feito por meio de blog posts, posts em áudio, vídeos, e-books, audiobooks e qualquer conteúdo multimídia que seja importante, gere interesse no público-alvo e claro, tenha relação direta com o segmento da empresa. Dentro disso também há o uso de técnicas de SEO para fazer com que os conteúdos estejam bem posicionados nas buscas do Google.

Uma das principais vantagens do marketing de conteúdo é o seu custo, bem mais em conta do que outras estratégias. Os textos, por exemplo, podem ser produzidos dentro do setor de marketing da própria empresa. Há também a opção de terceirizar, contando com o serviço de agências especializadas.

3. Mobile marketing: ações para o mercado móvel

O uso de gadgets móveis como tablets e principalmente smartphones tem crescido consideravelmente. A Fundação Getúlio Vargas apresentou uma pesquisa que conclui que até o final de 2017 haverá 1 smartphone por habitante do país. Se tratamos das tendências de marketing digital para 2018, como não considerar o mobile importante depois desse dado?

É preciso pensar em ações que se adaptem bem aos dispositivos móveis. Textos, vídeos, players de áudio e páginas precisam estar bem adaptados ao conceito responsivo, que é o centro dessa tendência. Tudo precisa estar perfeitamente bem disposto na tela de um celular, sem que haja a perda de informações e da qualidade da experiência de uso.

A dificuldade de acessar conteúdos pelo celular afasta qualquer possibilidade de retorno do público-alvo. Essa adaptabilidade deve acontecer sempre e é justamente isso que o mobile marketing prega: ações direcionadas para esse segmento, de modo que a experiência de consumo do conteúdo seja a melhor possível. Um exemplo de conteúdo que segue essa tendência é o post em áudio, que pode ser consumido em dispositivos móveis durante um deslocamento e gasta menos banda do que um vídeo.

4. Realidade virtual: o público dentro das ações

O conceito é muito simples: oferecer uma possibilidade de experimentar realidades distintas por meio de uma simulação digital. Esse é um movimento que não é recente, mas que ultimamente vem ganhando cada vez mais força e qualidade. Atualmente o que tem acontecido também é a experiência de realizar ações com o uso desse conceito.

Na aplicação prática, a realidade virtual no marketing digital tem proporcionado maneiras de levar o público praticamente para dentro das campanhas, oferecendo uma experiência que simule sua relação com o produto ou serviço comercializado pelas empresas. Tudo isso por meio de vídeos e textos com animações.

Com o mundo cada vez mais envolvido com a realidade virtual, principalmente com a divulgação dos avanços dessa tecnologia, proporcionar ações com base nessas ferramentas tem grande valor no que diz respeito ao engajamento. Oferecer essa experiência é conseguir uma proximidade grande com o público-alvo.

5. Campanhas de vídeo: conteúdo visual tem força

Cada vez mais cresce o número de páginas iniciais com vídeos, assim como os links que redirecionam diretamente para esses conteúdos.

A atração visual é grande e prende a atenção do público-alvo, o que traz grande aumento nas taxas de conversões. Por isso é possível dizer que os investimentos em conteúdo de vídeo serão cada vez maiores. Configurando essa estratégia como uma das mais fortes para 2018.

É importante por isso ter páginas institucionais no YouTube, por exemplo, assim como alimentar as fanpages do Facebook e Instagram com vídeos. Esse tipo de mídia tem grande impacto e é uma ferramenta precisa para gerar mais engajamento. Fique atento!

6. Conteúdo em áudio: textos para quem quer ouvir

Quantas vezes você já quis ler um texto mas não o fez por falta de tempo, preguiça ou cansaço? Isso é um fenômeno muito comum e acaba sendo prejudicial para quem tem apenas esse formato de conteúdo em suas estratégias de marketing digital. Mas e se alguém lesse o texto para você, seria bom? Os conteúdos em áudio levam esse conceito para o público-alvo.

As plataformas que realizam esse serviço têm crescido bastante e prometem ser uma das principais tendências para 2018. Os motivos são simples. Há um grande aumento de engajamento, já que é oferecida uma outra maneira de ter acesso ao mesmo conteúdo, de modo mais prático e que pode ser feito enquanto o usuário realiza outras atividades, como dirigir ou andar na rua.

Além disso, algumas dessas plataformas oferecem serviços de monitoramento de métricas, para que as empresas saibam como andam os resultados de reprodução dos áudios. Outro recurso interessante é a possibilidade de captar leads toda vez que um usuário der play no conteúdo. Atualmente a única plataforma que oferece esse serviço é a do Vooozer.

Estar atento às tendências de marketing digital para 2018 é fundamental no que diz respeito a ter as melhores estratégias à disposição, visando maiores conversões e engajamento.

Para não perder tempo e já se preparar para inovar em 2018, confira o artigo da Resultados Digitais sobre como explorar a estratégia de conteúdos em áudio.

Ilustração de um tiranossauro rex frente a um laptop

Dicas para melhorar seu blog sem mexer nele

Melhorar seu blog é um exercício constante. Você, que possui ou está montando um, já deve saber disso. Um blog nunca fica realmente “pronto”, por assim dizer. Sempre há novidades e experimentos a serem testados, desde layouts, assuntos a serem abordados ou diferentes formatos de conteúdo.

Ouça essas dicas e aproveite para descansar a vista. Aperte o play e aproveite!

A lista ainda vai longe. Podemos falar de navegabilidade, velocidade de carregamento, widgets, design e mais. Mas, reparem que todas esses tópicos possíveis de como melhorar seu blog requerem que você mexa nele.

Por outro lado, muita coisa pode mudar para melhor, para que você atinja melhores e maiores resultados com o seu blog, sem que você precise mexer nele. Confira como!

Como melhorar seu blog sem mexer nele

Um blog é um projeto e, como praticamente qualquer projeto, quanto melhor sua gestão, melhores serão seus resultados. A gestão de um blog pode envolver muitas coisas, dependendo do tamanho do blog, da equipe, seus objetivos e tantos outros fatores.

Qualquer blog que queira crescer e melhorar deve estar atento à sua gestão, ou seja, como ele é gerenciado. Mas não pense que irei falar de questões super técnicas que, na prática, são confusas ou não fazem sentido.

Cachorro com dois donos morre de fome

É importante que seu blog tenha um líder, alguém explicitamente responsável por ele e seus resultados. Caso seja um blog corporativo, por exemplo, é necessário definir quem da empresa, ou da área de marketing, é responsável por ele.

Isso evita aquelas situações onde uma pessoa joga a responsabilidade para outra, além de evitar que alguém ache que outra pessoa era quem deveria ter se preocupado com a meta de leads do mês. Aliás, estipular metas é uma ótima maneira de melhorar seu blog sem mexer nele. Metas podem proporcionar direcionamento e inspiração para a equipe.

Tendo um líder responsável pelo blog, todos no projeto passam a saber com quem devem falar em caso de dúvidas, sugestões ou qualquer outro assunto relacionado ao blog. O líder não precisará resolver tudo, ele poderá simplesmente delegar funções e tarefas aos demais envolvidos.

“Coloquei um post-it com a meta do mês na sua mesa”

Longe de mim falar que post-it não é uma boa ferramenta de comunicação, mas na minha opinião, algo tão importante como a meta do mês deveria estar escancarada em um mural, ter sido enviada por e-mail e registrada em um dashboard de acompanhamento de resultados.

Ou seja, o ponto aqui é a comunicação entre a equipe. E não importa se a equipe é composta apenas por você. A comunicação continua sendo um ponto chave para você melhorar seu blog.

Defina meios de comunicação padrão e o que deve ser comunicado por qual meio. Por exemplo, atas de reunião devem ser enviadas por e-mail logo após cada reunião. Ou então, as metas do mês devem estar expostas em um mural ou planilha compartilhada.

Organizar o que deve ser comunicado por que canais irá facilitar a comunicação entre sua equipe e envolver mais cada uma das pessoas. Se levarmos em conta a dica anterior, o líder do blog poderá definir as melhores práticas de comunicação e ainda servir como catalisador das sugestões da equipe de como melhorar essa comunicação.

Uma equipe alinhada e que se comunica com eficiência e eficácia certamente terá mais chances de alcançar seus objetivos.

Demore mais para planejar e demore menos para executar

Este ponto é bem direto e claro: se você planejar melhor irá executar melhor. Isso porque o exercício de planejar uma ação ou experiência ajuda a prever recursos necessários, prazos, possíveis contratempos, avaliação de resultados, entre outros.

Antes de mexer no seu blog, por exemplo, avalie se investir tempo em um planejamento te trará benefícios. Em alguns casos, talvez não seja necessário, em outros talvez seja preciso um planejamento bem simples. Enquanto também existe a opção de incluir outras pessoas para fazer um planejamento melhor.

Mas, não se engane: a necessidade de planejamento não está tão ligada à complexidade da ação. Por exemplo, digamos que você quer melhorar a conversão de uma landing page e, para isso, vai experimentar uma cor ou posicionamento diferente para o botão de CTA (call to action).

Por mais simples que seja fazer a alteração, para tirar conclusões boas é preciso registrar que dia será feita a mudança, se será feito um teste AB ou outro método, definir por quanto tempo será feito o teste e quem deverá fazer o levantamento dos resultados.

 

Espero que você tenha gostado dessas dicas e percebido como o sucesso de um blog vai muito além do site em si. Aqui mesmo, no Blog do Vooozer, nós implementamos essas dicas e já estamos colhendo resultados.

E você? O que faz para melhorar os resultados do seu blog sem mexer nele? Conte pra gente nos comentários!

7 razões para ter um site ou blog responsivo

Site ou blog responsivo. De acordo com a pesquisa “Google Consumer Barometer”, 62% dos brasileiros usam smartphones. E esse número tende a crescer. Para que um site possa acompanhar essa realidade e garantir boa experiência para os seus visitantes, é necessário contar com um.


Ouça essa matéria! Clique no play acima!

O design responsivo adapta o site ou blog para ser exibido em qualquer formato de tela. Assim, uma pessoa pode acessar uma página web de qualquer dispositivo — computador, notebook, smartphone, tablet, entre outros — sem que haja perda na usabilidade e na experiência do usuário.

As empresas e blogs, para garantir uma presença digital sólida, precisam entender e se adaptar à realidade e às necessidades de seus visitantes, clientes e potenciais consumidores. Para isso, é necessário acompanhar as tendências tecnológicas e hábitos de comportamento das pessoas e atualizar seus canais digitais. Por isso, confira, neste post, as principais razões para ter um site ou um blog responsivo!

Atração de visitantes e captação de clientes

A pesquisa do Google citada no início deste artigo não demonstra apenas uma tendência de mercado. Ela também retrata o perfil do consumidor brasileiro que já assimilou o smartphone como parte da sua rotina e como um instrumento importante para se comunicar e acessar a internet.

Anteriormente, pesquisas e compras online aconteciam basicamente por meio dos desktops. Porém, com a popularização dos novos dispositivos, as pessoas passaram a usar os smartphones e tablets para consultar informações, buscar referências e comprar de qualquer lugar.

Contar com um site ou blog responsivo é fazer com que seu site consiga alcançar seu público onde quer que ele esteja.

Por exemplo, um acordo comercial pode ser frustrado simplesmente porque um consumidor potencial não conseguiu acessar ou consultar informações de um negócio pelo celular.

Dessa forma, o design responsivo é bastante importante para atrair e captar essas pessoas que utilizam seus smartphones e tablets para navegar na internet. E, como mostramos, eles já ultrapassam mais da metade da população brasileira.

Razões para ter site ou blog responsivo

As vantagens de um design responsivo vão além de garantir usabilidade e boa experiência ao usuário. Ele possibilita outros diferenciais estratégicos para quem busca uma presença digital sólida. Confira quais são:

1. Experiência do usuário

O Google Think Insights — mais uma ferramenta de dados da gigante da internet — aponta que, se uma pessoa acessar uma página por dispositivo móvel e não encontrar o que deseja, há 61% de chances de que ela desista e recorra a outro site.

Porém, caso ela tenha uma experiência positiva e consiga encontrar o que procura, há 67% de chances de que ela consuma seu conteúdo. Assim, é muito importante assegurar uma boa experiência para os usuários.

2. Mercado em crescimento

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), em abril de 2017, o Brasil contava com 198 milhões de smartphones em uso — um crescimento de 17% em relação a 2016. A expectativa, conforme o estudo, é de que, até outubro deste ano, o número de smartphones ativos no país chegue a 208 milhões.

E não para por aí! A FGV aponta que, nos próximos dois anos, o Brasil contará com 236 milhões de smartphones: um crescimento de 19% em relação ao cenário atual. Já imaginou o impacto para um site que não consegue se relacionar com esse público?

3. Velocidade de carregamento

Você certamente já desistiu de visitar um site ou blog porque ele demorou a carregar. Quando isso acontece, a tendência é que as pessoas procurem outros endereços em que consigam acessar o conteúdo desejado.

Essa demora no carregamento não é um problema exclusivo da conexão de internet. Um site ou blog desenvolvido apenas para desktop terá uma velocidade de carregamento muito baixa nos dispositivos móveis. A solução para isso é contar com um design responsivo.

Além disso, a velocidade de carregamento também é um dos fatores de ranqueamento do Google. Isso acontece porque o buscador considera que a demora em abrir uma página prejudica a experiência do usuário.

4. Baixa taxa de rejeição

A experiência do usuário é bastante importante para que o site ou blog traga bons resultados.

A taxa de rejeição mostra a quantidade de pessoas que acessaram uma página da internet, mas não tiveram nenhuma interação com ela. E ninguém quer isso para a sua página.

Contar com site ou blog responsivo ajuda a diminuir essa taxa de rejeição e incentivar que os usuários se relacionem com a sua página, o que aumenta as chances de conquistar novos leitores (fãs e clientes) e fechar mais vendas.

5. Aumento da taxa de conversão

As pessoas navegam na internet pelos seus celulares. Portanto, quando produzir materiais para download, é necessário inseri-los em landing pages responsivas. Afinal, elas podem chegar a esses materiais pelo dispositivo móvel e podem não conseguir baixá-los.

As chances de alguém ligar o desktop para fazer o download é extremamente baixa. Então, para não perder leads, é  interessante apostar sempre em páginas responsivas.

6. Aumento das vendas

O relatório Digital, Social & Mobile 2015 registra que 15% dos brasileiros que acessaram a internet por meio de dispositivos móveis fizeram alguma compra nos últimos 30 dias.

Esse número já representa metade da taxa de compra online feitas pelo desktop — que está em 36%. Porém, se pensarmos que o uso de smartphones está crescendo, a sua influência na rotina das pessoas também tende a crescer. Logo, mais pessoas passarão a utilizá-los para fazer suas compras.

Nenhuma empresa quer ficar fora de um mercado em crescimento, sobretudo quando ele pode ter um impacto determinante em seu volume de vendas.

7. Posicionamento no Google

Ao longo desses tópicos, mostramos como a experiência do usuário e o comportamento do site ou blog podem influenciar no posicionamento do Google. Logo, design responsivo contribui de maneira determinante para que a página na internet tenha um ranqueamento melhor.

Poucas pessoas vão além das primeiras páginas da busca no Google. Assim, contar com site ou blog responsivo é um passo para alcançar as colocações iniciais nos resultados de pesquisa.

Gostou desse artigo sobre a importância de se contar com site e blog responsivo? Então confira também este texto sobre como Game of Thrones pode ajudar o seu blog!

Ilustração de uma paródia do trono de ferro do seriado Game of Thrones, onde o trono é feito por CPUs, cabos USB, teclados e envelopes.

Game of Blogs: dicas para blog baseadas em Game of Thrones

Lost, Breaking Bad, Prison Break e House of Cards são apenas alguns seriados que já atraíram multidões de fãs. Outro sucesso é a série Game of Thrones, da HBO, cuja história e personagens engajam pessoas há alguns anos. Como um seriado é um tipo de conteúdo e Game of Thrones possui sucesso mundial, é até natural que possamos aprender valiosas dicas para blog com a saga.

Sem tempo de ler? Quer descansar a vista? Aperta o play e ouça o artigo na íntegra!

Seja você um fã de GoT (Game of Thrones para os mais íntimos), ou não, certamente essas lições de sucesso para blogs serão do seu interesse. Além disso, analisar diferentes pontos de vista e analogias pode ser bom tanto para fortalecer conceitos, como para explorar novas ideias.

Vamos às dicas para blog que tudo ficará mais claro. E não precisa temer, o artigo não possui spoilers e mesmo quem nunca assistiu o seriado irá entender. Vamos lá?

Tenha um cronograma e calendário de publicações

O seriado deixa escancarado o efeito positivo em se possuir um cronograma claro de lançamentos e um calendário de publicações. Vemos isso tanto no lançamento de temporadas quanto de episódios. Por isso que essa é uma das dicas para blog mais importante que extraímos do seriado.

Por anunciar as datas da próxima temporada e manter uma constância no lançamento de episódios, as pessoas sabem exatamente quando poderão assistir o próximo episódio e podem se programar de acordo.

A mesma coisa vale para um blog que publica seus posts rotineiramente. Seu público passa a saber quando deve acessar seu blog novamente para encontrar novidades. Além disso, a própria equipe do blog consegue se organizar melhor e cumprir prazos com maior facilidade.

Planeje muito bem o seu enredo

Outra coisa que chama muita atenção em Game of Thrones e é muito valorizada pelo público é o enredo bem trabalhado. A história do seriado praticamente não possui furos, tudo possui uma explicação e um racional por trás. Isso transparece a qualidade do conteúdo e envolve as pessoas.

O mesmo vale para um blog que preza pela qualidade e contextualização do seu conteúdo. Um bom post pode ser bom na sua esfera como post, mas pode ser melhor ainda se conversar com outros posts do seu blog. Ou seja, se for complementar a outras postagens, seguindo uma linha lógica dos assuntos abordados no blog.

Faça coisas inesperadas – mas embasadas

De todas as dicas para blog deste post, essa aqui é como se fosse um tempero especial.

GoT nos mostrou como ser original é algo valioso. Afinal de contas, quem disse que o mocinho ou o personagem principal não podem morrer? Quem diria que tudo o que aconteceu com os Starks realmente aconteceria? Matanças e reviravoltas à parte, podemos aprender sobre como inovar e arriscar podem trazer bons frutos.

É difícil dizer o quanto o autor estava seguro das suas inovações e passagens surpreendentes da história, mas certamente elas se pagaram. Um dos motivos desse sucesso é aliar a surpresa a um planejamento lógico. Até porque, se você planeja matar o personagem principal, precisa ter um outro engatilhado na história.

Em um blog, podemos fazer isso ao testar formatos de conteúdos novos (sem medo de que ele não seja aceito por todos), publicar uma opinião própria de forma embasada ou até abordar assuntos que você nunca abordou antes. Como fazer analogias com seriados.

Acredite no longo prazo

Game of Thrones nasceu alinhando objetivos de curto, médio e longo prazo. Era impossível prever o exato sucesso da saga antes de lançar a primeira temporada. Mas isso não impediu que ela fosse lançada. Indo um pouco além, podemos falar do próprio formato de lançamento em temporadas.

Não se produz e se lança um episódio por vez. Uma temporada inteira é planejada e executada. O mesmo vale para blogs. O pensamento de longo prazo permite identificar oportunidades, criar planejamentos e correr atrás de objetivos maiores – além de manter as coisas em perspectiva.

Afinal, um blog não conquista sucesso da noite pro dia, ou de um post para o outro. É um trabalho de longo prazo mas com inúmeras conquistas de curto e médio prazo que guiam seu caminho.

Esteja preparado para o esperado

Muita coisa é inesperada no mercado de blogs, Marketing de Conteúdo e conteúdo online como um todo. Podem ser novas práticas de SEO, um critério novo no mecanismo de busca do Google, entre outros. Mas muita coisa é esperada.

Assim como os personagens de Game of Thrones se preparam para o inevitável inverno, um blog ou site que já possui certo histórico deve antever secas e farturas. E se preparar de acordo.

Na prática, isso significa atentar-se aos dias da semana que você recebe mais visitas, horários em que os conteúdos são mais compartilhados ou até meses de pico ou queda de tráfego. Datas comemorativas também não devem ser deixadas de lado, já que muitas vezes é efetivo que seu blog entre no clima de férias, de dia das mães, dos pais, etc.

No caso deste próprio post, por exemplo, não é à toa que ele foi publicado logo após o fim da temporada mais recente de GoT.

 

Deu pra perceber que, para uma mente atenta, Game of Thrones é um prato cheio de insights, lições e melhoras práticas para se obter sucesso engajando pessoas com conteúdo planejado e de qualidade. Espero que essas dicas para blog ajudem você a alcançar melhores resultados na internet!

Conhece alguém que adora Game of Thrones ou Marketing de Conteúdo? Então compartilhe essas dicas!