Caso de sucesso Vooozer e Rock Content, ilustração de 4 cronômetros lado a lado, um maior que o outro da esquerda pra direita.

Case Rock Content: como aumentamos em 10% o Tempo Médio na Página de blog posts

Se você é familiarizado com o Google Analytics, sabe da importância do indicador Tempo Médio na Página (ou Time On Page). Ele indica quanto tempo, na média, seus visitantes passaram em uma página específica.

Sem tempo para ler? Quer descansar um pouco a vista? Aperte o play e ouça esse artigo:

É um dos principais indicadores de um blog, pois reflete o quanto seus visitantes estão engajados e consumindo uma postagem.

Além disso, um estudo recente da SEMrush concluiu que o tempo que as pessoas passam em um site é o segundo fator mais importante no rankeamento orgânico de um site. Isso mostra o quanto esse indicador é importante em uma estratégia de SEO.

Sabendo da relevância do Tempo Médio na Página, no começo de 2017 a Rock Content iniciou uma série de testes junto ao Vooozer para melhorar o desempenho desse indicador no principal blog da empresa, o Marketing de Conteúdo.

O problema

A Rock Content, como tantas outras empresas, investe na produção de textos de qualidade para sua persona, assim sendo, espera que as pessoas consumam tais materiais. Mas como sabemos, a quantidade de conteúdo online relevante cresce rapidamente e o dia para consumí-lo continua tendo 24 horas.

O reflexo disso é visto no comportamento das pessoas. De acordo com pesquisas, mais de 70% das pessoas diz não conseguir ler tudo que gostariam na internet. Um dado alarmante para qualquer empresa que invista na produção de textos para internet.

Seu blog pode ser grande ou pequeno, falar sobre tecnologia ou pescaria e seus textos podem ser de ótima qualidade e, ainda assim, a maioria das pessoas pode não ter tempo para ler seus textos, mesmo estando interessadas.

Compreendendo o cenário, a Rock Content, que em 2017 estava focada em aumentar o engajamento com seus visitantes e, consequentemente, o Tempo Médio na Página, topou inovar e começou a fazer testes com posts em áudio.

A hipótese

A Rock Content já possuía os textos de qualidade focados na persona, mas era nítido que podiam aumentar o engajamento dos visitantes. Obviamente, abrir mão do texto não era uma opção, pois ele possui uma força imensa no SEO, gera tráfego e já é amplamente consumido.

A lógica, então, era agregar um outro formato junto ao texto.

O áudio foi escolhido como formato complementar por sua praticidade e adequação ao comportamento das pessoas. Se uma pessoa não tem tempo ou disposição para ler, ela poderia ouvir o mesmo conteúdo. Palavra por palavra, assim como estivesse escrito no post.

Com quase 200 milhões de smartphones no Brasil, o consumo de áudio vem crescendo cada vez mais. Nos comunicamos por áudios no WhatsApp, pelo Skype e tantas outras ferramentas, seguindo tendências internacionais. Escutamos podcasts, audiobooks e o bom e velho rádio segue em nossas rotinas.

O ponto chave do áudio sobre o texto é claro: podemos ouvir em situações onde não podemos ler, como enquanto dirigimos, andamos na rua, lavamos a louça ou enquanto fazemos tantas outras atividades. Dessa forma, oferecer uma narração do texto, junto a ele, aumenta as chances do seu visitante consumir seu material.

Nesse cenário, o post em áudio se mostrou um forte candidato para aumentar o Tempo Médio na Página.

Os testes

Devido ao seu nível de expertise e exigência, a Rock Content decidiu fazer um teste controlado com quase 10 posts. Assim, seria possível coletar um volume relevante de dados para avaliar possíveis variações no indicador Tempo Médio na Página.

Foram selecionados posts que, na época, já estavam no ar por pelo menos 4 meses. Cada texto foi narrado, palavra por palavra, e então cada narração foi publicada junto aos posts originais, como neste próprio post ou neste exemplo.

Pontos de atenção

É importante notar alguns pontos relevantes que certamente impactaram positivamente os resultados:

  • Todas as narrações publicadas foram humanas, não foi utilizado nenhum software de geração de narrações artificiais ou robóticas. De acordo com pesquisas, a maioria absoluta das pessoas prefere uma narração humana do que uma robótica.
  • O player com a narração do texto foi colocado logo no início de cada post.
  • Foram inseridas breves chamadas acima ou abaixo do player, como “Clique no player para o ouvir a narração do nosso post!”.
  • Foi utilizado um player 100% responsivo, que se adapta a qualquer formato de tela.
  • A distribuição dos áudios foi através de arquivos leves. Isso viabiliza o consumo em redes 3G e às vezes até em redes inferiores.

Os resultados

Após meses de coleta de dados, os resultados foram levantados. Analisando a média dos posts, o Tempo Médio na Página dos posts aumentou em 10%. O maior aumento foi de 43% para um determinado post.

Vale ressaltar os resultados de 2 posts que a Rock Content considera estratégicos. Por já serem campeões nos resultados de busca, são artigos mais difíceis de ser otimizados.

O primeiro é sobre os 4 Ps do marketing e o segundo sobre personas — o Tempo Médio na Página desses artigos aumentou em 13% e 12%, respectivamente. Logo, a máxima “em time que está ganhando não se mexe” não é válida para uma estratégia de marketing digital ou marketing de conteúdo.

Conclusão

Oferecer o post em áudio junto ao post original é uma estratégia válida para melhorar o Tempo Médio na Página. Por consequência, também é uma estratégia de SEO válida para melhorar o rankeamento de uma página.

Vale ressaltar que o aumento no Tempo Médio na Página é uma consequência de algo talvez ainda mais valioso para sua estratégia de marketing de conteúdo: o aumento do engajamento dos seus visitantes e o aumento do consumo do material produzido.

Quem deixaria de ler por falta de tempo ou disposição, pode passar a ouvir seus textos.

Uma landing page com ótima taxa de conversão pode ser otimizada, um ebook de sucesso pode ser repaginado e um blog post pode, dentre outras coisas, receber uma versão em áudio para gerar ainda mais resultados para sua estratégia de marketing de conteúdo.

Ficou interessado? Então confira aqui outros exemplos de empresas que estão melhorando seus resultados em marketing de conteúdo com a estratégia de posts em áudio.

7 dicas básicas para gerar leads com Marketing de Conteúdo

A internet mudou o comportamento do consumidor. Com amplo acesso à informação, as pessoas pesquisam na web sobre produtos e serviços antes de decidir suas compras. Dessa forma, é possível gerar leads com Marketing de Conteúdo e, com isso, fortalecer a marca e aumentar as vendas.

Sem tempo ou disposição pra ler? Aperte o play e ouça o artigo na íntegra:

O Marketing de Conteúdo é uma estratégia que utiliza a produção de conteúdo relevante e valioso para atrair o público-alvo de uma empresa. Todo o material produzido tem como objetivo conduzir o lead pelo funil de vendas — atrair o cliente em potencial, apresentar as soluções geradas pelo produto ou serviço e fechar novos negócios.

Assim, essa estratégia de marketing busca informar as pessoas para que elas respeitem e entendam a sua marca como referência de mercado, além, é claro, de as transformarem em clientes. Apesar de ser um modelo de divulgação relativamente novo, já consegue gerar excelentes resultados para as empresas.

Quer saber como gerar leads com Marketing de Conteúdo? Então confira nos próximos parágrafos as dicas que preparamos!

1. Tenha um blog

O primeiro passo para adotar uma estratégia de Marketing de Conteúdo é criar um blog; é nesse espaço que você fará as suas publicações. Além disso, quando uma pessoa fizer uma busca no Google, por exemplo, será o seu blog que aparecerá nos resultados. Portanto, faça um bom planejamento e capriche no layout a ser utilizado.

2. Desenvolva o conteúdo

Como o nome da estratégia deixa entender, o conteúdo é o destaque desse modelo de marketing. Assim, para atrair visitantes e gerar leads, é bastante importante desenvolver conteúdo de qualidade. Saiba o que o seu público-alvo procura na internet, a linguagem que utiliza e alinhe as publicações com seus objetivos comerciais.

3. Invista em conteúdo rico

O blog é uma excelente ferramenta para atrair e educar seus clientes em potencial. Porém, é preciso ir um pouco além para aumentar o número de conversões. Para isso, é interessante investir em materiais ricos — como e-books, audiobooks, infográficos, webinars, entre outros. Esse tipo de conteúdo pode ser trocado por dados de contato, o que favorece as vendas.

4. Capriche nos calls-to-action

Os calls-to-action são mecanismos para incentivar que o seu leitor execute algum tipo de ação, como compartilhar o conteúdo, deixar um comentário, assinar uma newsletter ou até mesmo entrar em contato com a empresa. Portanto, na hora que publicar um artigo, capriche nessas chamadas para ação.

5. Aposte nos áudios

Dentre os modelos de conteúdo que vêm ganhando espaço estão os áudios. Esse tipo de mídia cresceu com os smartphones e internet móvel e podem ser consumidos pelas pessoas com bastante facilidade. Assim, é interessante desenvolver materiais em áudios para aumentar as suas conversões.

6. Elabore um calendário editorial

Para que a sua estratégia de Marketing de Conteúdo seja eficiente é necessário publicar novos conteúdos com regularidade. Para garantir que isso aconteça é interessante desenvolver um calendário editorial que oriente a criação de artigos e materiais ricos e estabeleça datas e metas de publicação.

7. Mensure os resultados

Assim como qualquer ação de marketing digital, avaliar os resultados das ações é essencial para que possa melhorar constantemente as suas estratégias. A mensuração permite saber quantas oportunidades de negócio apareceram, quais canais geram mais leads e qual retorno teve com o trabalho de divulgação.

O que achou deste artigo sobre como gerar leads com Marketing de Conteúdo? Que tal compartilhar esse conhecimento em suas redes sociais?

Ilustração de uma pessoa sentada no chão e escrevendo em uma máquina de escrever

Aprenda o que é Storytelling e como utilizar essa técnica no seu blog

Ter uma boa estratégia de comunicação e marketing é tão importante quanto ter um produto de qualidade. Existem diversas técnicas disponíveis nessa área para garantir a melhor eficácia na entrega da mensagem da empresa.

Que tal escutar o artigo na íntegra ao invés de ler? É só apertar o play abaixo:

Contar histórias é uma das mais eficientes, prática conhecida como storytelling. Selecionamos algumas informações importantes sobre o que é storytelling e como você pode usar essa técnica no seu plano de marketing digital. Veja só!

O que é storytelling?

Assim como outras metodologias da comunicação e do marketing, o storytelling foi batizado por um termo em inglês, que significa contar histórias ou desenvolver uma narrativa. Portanto, podemos afirmar que a metodologia consiste na arte de comunicar uma ideia, um evento ou uma mensagem ao contar uma história.

Isso pode ser feito através de palavras, imagens, sons ou qualquer outro recurso de comunicação compreendido pelo receptor da mensagem. A intenção com a história é que o emissor — ou seja, a empresa — possa se conectar de uma forma mais direta e eficiente com sua audiência.

Por que ele é importante para o marketing digital?

É possível que neste momento você esteja pensando: “Ok, contar histórias pode até fazer sentido em uma estratégia de marketing, mas por que eu devo fazer isso na minha empresa?”. A resposta é simples: porque as pessoas têm uma tendência maior de memorizar histórias em vez de números!

O cérebro humano armazena melhor histórias do que dados. Pense bem: quando foi a última vez que você guardou uma mensagem transmitida em uma palestra, por exemplo? Muito provavelmente não foi uma informação baseada em números ou dados, mas uma história contada pelo palestrante para ilustrar o conteúdo que estava sendo transmitido.

A arte de contar histórias ativa as áreas do cérebro associadas à visão, ao gosto, ao som e ao movimento. O storytelling é, portanto, eficiente para uma estratégia de marketing, pois são essas as áreas que têm o poder de influenciar a decisão do consumidor por um produto em detrimento de outro. Mesmo que os dois tenham a capacidade de solucionar o problema.

Por exemplo: se você tem problemas para educar um cão ou gato recém-adotado, é fato que você vai buscar uma solução na internet. Nesse contexto, há uma probabilidade muito maior de você se identificar mais com a história de alguém que tenha o mesmo problema do que com uma penca de números e dados sobre o tema.

Essa diferença se explica pela abordagem das duas formas de comunicar a mesma coisa. Pensando em uma campanha de marketing, enquanto de um lado os números chamam sua atenção para o contexto da empresa, é a história que humaniza aquele produto ou serviço, aproximando muito mais a marca do consumidor.

Como utilizar a técnica no seu blog?

Entender o que é storytelling é muito importante para uma estratégia eficiente de comunicação, pois essa é uma metodologia que pode ser aplicada em diversas áreas. No contexto do marketing digital, é na produção de conteúdo que ela mais se mostra como uma boa alternativa.

Se estamos falando de produção de conteúdo, é evidente que nosso foco central será na manutenção do blog da sua empresa. Mesmo porque, será ele o responsável pela aquisição de uma parte do tráfego oriundo das cerca de 700 mil buscas que ocorrem a cada minuto no Google. Para auxiliar você nessa jornada, separamos abaixo 5 dicas de eficácia comprovada. Confira!

1. Conheça sua audiência

Com certeza você já ouviu falar sobre isso em outros artigos que dão dicas de marketing digital. Esse é um fato quase óbvio. Afinal de contas, como você vai conseguir gerar uma mensagem eficiente sem conhecer a audiência para quem ela se destina?

Conhecer o público-alvo, no entanto, vai além das informações básicas, como gênero, idade, cidade, entre outros. É preciso também entender os hábitos de consumo, os gostos e as preferências das pessoas.

Inclua nessa história também a compreensão dos problemas enfrentados por essas pessoas e como sua empresa pode ser útil para elas. Apenas com esse entendimento será possível que você crie histórias que estejam alinhadas com os interesses dessas pessoas.

2. Crie títulos atraentes

Nenhuma história será conhecida se você não conseguir prender a atenção da pessoa ao longo do texto. O primeiro passo para atingir esse objetivo é se esforçar para criar títulos criativos que chamem mais atenção do usuário. Assim, há uma chance maior dele acessar a sua história e se manter engajado por mais tempo com o conteúdo.

3. Seja único e autêntico

Não há melhor forma de fortalecer uma marca na internet que não seja criando conteúdo. No entanto, é importante lembrar que, para ser eficaz nesse objetivo, o conteúdo precisa ter valor e ser único. É isso que vai garantir ao consumidor que você não está tentando enganá-lo com aquela história.

Muita gente sabe o que é storytelling mas não têm os cuidados necessários ao aplicá-lo. É preciso ser autêntico na sua estratégia de storytelling. Uma história contada de forma honesta sob o ponto de vista de quem a viveu tem uma percepção muito melhor pelo leitor. Quando são fornecidas informações falsas, a experiência do usuário fica comprometida e não há geração de valor, conexão e empatia.

4. Use dados para embasar a história

É fato: o cérebro humano tem uma facilidade muito maior de reter histórias em detrimento de dados. Mas isso não quer dizer, entretanto, que você não pode unir os dois para tornar sua narrativa ainda mais convincente. Acredite ou não, histórias baseadas em números têm maior capacidade de gerar confiança no consumidor.

5. Tenha um objetivo mensurável

Por fim, é importante mencionar uma dica que vale para qualquer estratégia de marketing digital: toda ação precisa de uma meta clara que pretende ser atingida. Se ela não puder ser mensurada, não faz sentido que seja considerada como meta.

Quando pensar no objetivo que deseja atingir com as ações baseadas no storytelling, tenha em mente que é preciso definir as métricas que serão usadas para mensurar a eficácia da iniciativa. Assim você será capaz de entender se as histórias publicadas estão auxiliando na geração de leads e em melhores resultados para o negócio.

A comunicação é uma área em constante evolução. Para ter sucesso com as ações de marketing é fundamental compreender cada nova metodologia ou cada nova aplicação de métodos já existentes. Somos todos contadores de histórias, e você, junto da sua equipe, será capaz de gerar narrativas incríveis e altamente persuasivas. Entender o que é storytelling é apenas o primeiro passo dessa jornada.

Para ficar por dentro de mais conteúdos relevantes como este e aprender mais sobre o poder das boas histórias, curta a nossa página no Facebook!

Ilustração de diversos ícones relacionados a marketing digital em volta do título "marketing digital"

Descubra aqui as tendências de marketing digital para 2018!

As tendências de marketing digital para 2018 começam a ser observadas desde já! Novas estratégias experimentadas têm tudo para serem cada vez mais concretas e eficientes no ano que está próximo. Com o maior envolvimento de recursos tecnológicos, o marketing se atualiza constantemente.

Sem tempo pra ler? Quer saber das tendências para 2018 sem muito esforço? Aperte o play e escute o post:

Conteúdos de áudio, vídeo, uso de redes sociais, ferramentas e mais uma série de recursos já despontam como as prováveis melhores maneiras de se aproximar do público-alvo nos próximos meses. Que tal saber melhor sobre cada uma dessas estratégias?

Este post trará as principais tendências de marketing para 2018. Continue a leitura para se informar e ficar atento quanto ao uso delas!

1. Big data: dados que geram oportunidades

A internet é um ambiente em que são gerados muitos dados, de todas as formas, em altas velocidades, em muito volume e que se transformam constantemente. Mas como isso pode ser útil dentro de uma estratégia de marketing digital?

O conceito de big data visa a análise profunda de dados de consumidores em largas escalas, de modo que seja possível identificar por meio deles uma série de comportamentos que ajudem as empresas a se posicionarem. A maneira como cada um dos usuários da internet age pode servir como base para ações de marketing.

Imagine poder oferecer ao seu público-alvo o que ele realmente quer? Esse é o grande propósito do marketing, de modo que isso gere conversões e engajamento. A estratégia de big data possibilita o acesso a dados que aproximam muito a empresa de informações precisas que norteiam suas ações.

Para aproveitar essa tendência, aposte em ferramentas e ações que gerem dados confiáveis e úteis.

2. Marketing de Conteúdo: mídia que engaja

O marketing de conteúdo é uma estratégia que tem crescido constantemente e promete vir com tudo, cada vez mais forte e estabilizada em 2018. Essas ações visam a oferta de conteúdo útil ao público-alvo, de modo que isso gere tráfego qualificado para as páginas institucionais na empresa, tornando o usuário cada vez mais próximo.

Esse engajamento é feito por meio de blog posts, posts em áudio, vídeos, e-books, audiobooks e qualquer conteúdo multimídia que seja importante, gere interesse no público-alvo e claro, tenha relação direta com o segmento da empresa. Dentro disso também há o uso de técnicas de SEO para fazer com que os conteúdos estejam bem posicionados nas buscas do Google.

Uma das principais vantagens do marketing de conteúdo é o seu custo, bem mais em conta do que outras estratégias. Os textos, por exemplo, podem ser produzidos dentro do setor de marketing da própria empresa. Há também a opção de terceirizar, contando com o serviço de agências especializadas.

3. Mobile marketing: ações para o mercado móvel

O uso de gadgets móveis como tablets e principalmente smartphones tem crescido consideravelmente. A Fundação Getúlio Vargas apresentou uma pesquisa que conclui que até o final de 2017 haverá 1 smartphone por habitante do país. Se tratamos das tendências de marketing digital para 2018, como não considerar o mobile importante depois desse dado?

É preciso pensar em ações que se adaptem bem aos dispositivos móveis. Textos, vídeos, players de áudio e páginas precisam estar bem adaptados ao conceito responsivo, que é o centro dessa tendência. Tudo precisa estar perfeitamente bem disposto na tela de um celular, sem que haja a perda de informações e da qualidade da experiência de uso.

A dificuldade de acessar conteúdos pelo celular afasta qualquer possibilidade de retorno do público-alvo. Essa adaptabilidade deve acontecer sempre e é justamente isso que o mobile marketing prega: ações direcionadas para esse segmento, de modo que a experiência de consumo do conteúdo seja a melhor possível. Um exemplo de conteúdo que segue essa tendência é o post em áudio, que pode ser consumido em dispositivos móveis durante um deslocamento e gasta menos banda do que um vídeo.

4. Realidade virtual: o público dentro das ações

O conceito é muito simples: oferecer uma possibilidade de experimentar realidades distintas por meio de uma simulação digital. Esse é um movimento que não é recente, mas que ultimamente vem ganhando cada vez mais força e qualidade. Atualmente o que tem acontecido também é a experiência de realizar ações com o uso desse conceito.

Na aplicação prática, a realidade virtual no marketing digital tem proporcionado maneiras de levar o público praticamente para dentro das campanhas, oferecendo uma experiência que simule sua relação com o produto ou serviço comercializado pelas empresas. Tudo isso por meio de vídeos e textos com animações.

Com o mundo cada vez mais envolvido com a realidade virtual, principalmente com a divulgação dos avanços dessa tecnologia, proporcionar ações com base nessas ferramentas tem grande valor no que diz respeito ao engajamento. Oferecer essa experiência é conseguir uma proximidade grande com o público-alvo.

5. Campanhas de vídeo: conteúdo visual tem força

Cada vez mais cresce o número de páginas iniciais com vídeos, assim como os links que redirecionam diretamente para esses conteúdos.

A atração visual é grande e prende a atenção do público-alvo, o que traz grande aumento nas taxas de conversões. Por isso é possível dizer que os investimentos em conteúdo de vídeo serão cada vez maiores. Configurando essa estratégia como uma das mais fortes para 2018.

É importante por isso ter páginas institucionais no YouTube, por exemplo, assim como alimentar as fanpages do Facebook e Instagram com vídeos. Esse tipo de mídia tem grande impacto e é uma ferramenta precisa para gerar mais engajamento. Fique atento!

6. Conteúdo em áudio: textos para quem quer ouvir

Quantas vezes você já quis ler um texto mas não o fez por falta de tempo, preguiça ou cansaço? Isso é um fenômeno muito comum e acaba sendo prejudicial para quem tem apenas esse formato de conteúdo em suas estratégias de marketing digital. Mas e se alguém lesse o texto para você, seria bom? Os conteúdos em áudio levam esse conceito para o público-alvo.

As plataformas que realizam esse serviço têm crescido bastante e prometem ser uma das principais tendências para 2018. Os motivos são simples. Há um grande aumento de engajamento, já que é oferecida uma outra maneira de ter acesso ao mesmo conteúdo, de modo mais prático e que pode ser feito enquanto o usuário realiza outras atividades, como dirigir ou andar na rua.

Além disso, algumas dessas plataformas oferecem serviços de monitoramento de métricas, para que as empresas saibam como andam os resultados de reprodução dos áudios. Outro recurso interessante é a possibilidade de captar leads toda vez que um usuário der play no conteúdo. Atualmente a única plataforma que oferece esse serviço é a do Vooozer.

Estar atento às tendências de marketing digital para 2018 é fundamental no que diz respeito a ter as melhores estratégias à disposição, visando maiores conversões e engajamento.

Para não perder tempo e já se preparar para inovar em 2018, confira o artigo da Resultados Digitais sobre como explorar a estratégia de conteúdos em áudio.

Ilustração de uma mão segurando um grande imã atraindo pessoas e dinheiro

Geração de leads: 8 dicas para inovar no seu blog!

No marketing digital, lead é aquele cliente em potencial que está passando pelos processos de qualificação de uma empresa  ou seja, se relaciona com a marca, mas ainda não fechou negócio. A geração de leads, portanto, é um processo fundamental para potencializar as vendas de uma companhia.

Sem tempo ou disposição pra ler agora? Aperte o play e escute o post na íntegra:

Isso acontece porque esses consumidores qualificados têm mais chances de se tornarem clientes, pois conhecem a marca, entendem o seu trabalho e se interessam pelas soluções oferecidas. Além de poderem começar a fazer negócios com você, essas pessoas também se tornam embaixadoras da sua marca, o que é bastante interessante.

Saiba mais sobre este importante tema e confira algumas dicas para movimentar seu blog e garantir a geração de novos leads!

A importância de pensar na geração de leads

No mercado, existem diversas ferramentas e modelos de conteúdo que, se bem utilizados, têm um papel importante na captação e geração de leads. As marcas que trabalham com marketing digital precisam ficar atentas a esses mecanismos e incorporá-los em suas estratégias para alcançar melhores resultados.

Nos próximos parágrafos, vamos dar dicas sobre oito diferentes ferramentas e formatos de conteúdo que podem ser usados para atrair mais prospects para a sua empresa. Ficou curioso? Então, não deixe de acompanhar a lista a seguir!

1. E-books

Esse é um dos mecanismos clássicos para a atração de leads. Por permitir o aprofundamento em determinado assunto, os e-books são considerados materiais ricos e extremamente eficientes na hora de chamar a atenção das pessoas. Mas, para isso, é preciso caprichar na produção do material.

Um bom e-book é aquele que entrega para as pessoas as informações que elas buscam e, com isso, contribui para o aprendizado ou solução de alguma demanda. Esquecer desses aspectos é a mesma coisa que decepcionar a sua audiência e, assim, afastar o lead ao invés de atraí-lo.

2. Webinars

Podemos traduzir webinars como conferência digital. Neles, um representante da empresa realiza uma apresentação via web para a sua audiência  que interage apenas com o envio de perguntas ao apresentador. Também é considerado um dos mecanismos clássicos de produção de conteúdo e captura de leads.

Ao contrário do que pode parecer, possui um custo de produção relativamente baixo, já que é possível gravar o webinar com um computador e um microfone. A transmissão pode acontecer tanto ao vivo quanto com uma conferência produzida de antemão. Esse modelo de conteúdo permite um contato mais próximo com sua audiência.

3. Templates

Podemos chamar de templates aqueles modelos prontos e que facilitam o trabalho em determinadas áreas. Alguns exemplos desses materiais são:

  • planilhas;
  • planejamentos;
  • apresentações;
  • slides;
  • calendários, entre outros.

Devido ao seu caráter prático, eles acabam atraindo bastante pessoas. Porém, na hora de formatar um template, não deixe de inserir instruções de como usar o material. Ou então, desenvolva um modelo que seja autoexplicativo. Caso contrário, no lugar de facilitar o trabalho das pessoas, você apenas o dificultará  o que vai gerar resultados ruins para a sua estratégia de divulgação.

4. Quiz

Os quizzes vêm ganhando bastante espaço na internet e aparecem em diversas plataformas. Portanto, é um formato de conteúdo que chama bastante atenção do público. Além de serem relativamente fáceis de produzir.

Outro ponto positivo do quiz é que ele possui um potencial alto de se tornar um conteúdo viral, já que oferece um material interativo, divertido e único para os internautas. Ele também estimula as pessoas a compartilhar o teste com mais facilidade, o que aumenta o alcance da sua publicação e, consequentemente, da sua marca.

5. Infográficos

Um conteúdo que pode ser difundido de várias formas, os infográficos oferecem uma representação visual do material que está você oferecendo. Neles, texto e imagem se misturam, levando informações de maneira fácil, dinâmica e com linguagem bastante acessível a todos os tipos de usuários.

A montagem do infográfico pode parecer complicada e até mesmo assustar quem não possui muita experiência com esse tipo de conteúdo. Mas, atualmente, já existem diversas ferramentas  algumas gratuitas  que facilitam bastante esse trabalho.

6. Áudio e captura de e-mails

Smartphones e tablets permitiram que os trabalhos de comunicação na internet chegassem em outro nível. Com capacidade de suportar diferentes formatos de mídia, esses dispositivos móveis caíram nas graças do público. Assim, publicações em áudio e podcasts passaram a ganhar espaço nas estratégias on-line.

E eles podem ser usados para um trabalho de captação de lead. Players, como o oferecido pelo Vooozer, possuem a opção de tocar o conteúdo em áudio em troca do e-mail do lead, o que abre caminho para um trabalho de relacionamento com essa pessoa. Além disso, também permitem que você monitore o prospect.

7. Otimização de conteúdo

Bom, a otimização de conteúdo não é uma ferramenta em si, mas depende de alguns sistemas para ser desenvolvida e, por isso, encaixamos neste tópico. Os buscadores da internet são responsáveis por direcionar tráfego e gerar leads, o que os torna bastante importantes nas estratégias de marketing digital.

Técnicas como Search Engine Optimization (SEO), Search Engine Marketing (SEM) e Custo por Click (CPC) devem ser pensadas para melhorar a sua presença digital e, com isso, atrair mais prospects para o seu negócio. Mas fique atento às especificações de cada uma delas, pois são desenvolvidas de maneira diferente.

8. Ferramentas diversas

Citamos nos tópicos anteriores algumas ferramentas específicas, mas no mercado existem diversos modelos que ajudam na geração de leads  o que nos leva a abordá-las de maneira mais genérica. Podemos dizer que as ferramentas são o próximo passo dos templates, pois resolvem problemas mais complexos.

Por oferecerem boas soluções para as pessoas e empresas, a construção de ferramentas envolve um certo trabalho, sobretudo em sua programação, mas os resultados costumam ser excelentes. Além disso, elas também podem serem usadas para melhorar os seus processos internos.

No marketing digital, por exemplo, é possível encontrar ferramentas que fazem:

  • diagnóstico de marketing e vendas;
  • geração de personas;
  • criação de jornadas de compras;
  • calculador de teste A/B, entre outras possibilidades.

Para acessar esse material, é preciso fornecer um endereço de e-mail, o que gera leads.

Gostou deste artigo sobre conteúdos e ferramentas para a geração de leads? Quer saber como captar ainda mais prospects? Então, entre em contato com o Vooozer e tire todas as suas dúvidas!