6 pontos chave para entender a Amazon

Compartilhar:

Os resultados que a Amazon gera e o estado da arte em operam é algo amplamente conhecido no mercado. Diversos livros e artigos falam e discutem sobre como a Amazon faz o que faz mas, devido também à sua cultura, a gigante norte-americana não abre suas portas facilmente. No entanto, o empresário Luis Vabo Jr. conseguiu uma mentoria com a empresa em uma visita a Seattle e contou um pouco sobre sua experiência nesse quartel general.

Que tal ESCUTAR este artigo sobre a Amazon ao invés de ler?

Enquanto escuta você pode caminhar, dirigir, arrumar seu quarto…experimente, aperte o play:

Adaptado do texto: 6 lições que aprendi na sede da Amazon, originalmente publicado na Exame.com.

De uma das reuniões mais “marcantes” de sua vida, o empresário destacou seis pontos chave sobre o dia a dia da empresa.

1. A importância da cultura organizacional

Na Amazon, a cultura é chave – o “culture fit” é um termo presente desde a contratação de um novo funcionário. Ele é usado para que a empresa separe os missionários (aqueles que querem estar ali) dos mercenários (aqueles que só querem dinheiro). Um ponto chave para isso é o oferecimento de grandes quantias para o funcionário pedir demissão – dessa maneira, apenas os que realmente acreditam no que estão fazendo ficam na empresa.

2. Fortes princípios de liderança na prática

Os líderes fazem e os líderes inspiram. Aproveitando para indicar o livro The Everything Store, Luis conta que é comum os funcionários citarem os líderes e que jargões como “obsessão pelo cliente” não são vazios e são vivenciados na prática por todos.

3. Segredo do sucesso de Jeff Bezos, fundador da Amazon

Segundo o empresário, são 3 grandes fatores que contribuem para o sucesso de Bezos: evolução como gestor (de startup até uma empresa de 100 bilhões de dólares), gestão do tempo e foco na execução.

Vabo provocou e perguntou por um sucessor a Bezos. Ouviu que ele trouxe uma empresa do nada à Amazon e se cuida muito bem – deve estar por aqui por muitos anos ainda.

4. Persistência num foco implacável

A Amazon nasceu para oferecer a maior quantidade possível de produtos pelo menor preço. Não importa como, é isso que a Amazon faz – mesmo que isso signifique destruir seus próprios produtos. A palavra “rentável” é muito menos usada do que “implacável” – com margens altas, você abre as portas para os seus concorrentes.

5. Evitar a burocracia do crescimento

Para fugir de todos os problemas que surgem com o crescimento de uma empresa, a Amazon desenvolveu diversos mecanismos. Um deles, por exemplo, é 0 “2-pizza teams” – duas pizza têm que dar conta de satisfazer toda a equipe.

Além disso, a Amazon baniu apresentações em PowerPoint – para apresentar qualquer coisa, um documento de 6 páginas deverá ser redigido explicando a reação do consumidor à essa ação. Saber escrever é uma obrigatoriedade na companhia, o que faz com que conversas por e-mail sejam muito mais produtivas.

6. Precificação 100% automatizada

Milhões de produtos. Diversos concorrentes. SEMPRE o menor preço, não importa o que aconteça. Isso não seria possível sem automatização. 99,99% das trocas de preços nessa gigante são automatizadas. Esse tipo de precificação não é mais uma tendência – é a realidade do mercado.

COO e cofundador do Vooozer, Mateus é o engenheiro mais de humanas que ele conhece. Apaixonado por mochilões e tecnologia, torce para que tenha wi-fi no hostel. Viaja para se encontrar, se perder, descobrir, inventar e vice-versa.

Deixe uma resposta